CORONAVÍRUS

Brasileiro em Singapura fala da volta do coronavírus ao país que era exemplo no combate à doença


Pernambucano Rodrigo Santiago mora no país asiático há três anos e concedeu entrevista à Rádio Jornal nesta segunda-feira (13)

Publicado em 13/04/2020 às 10:44
Pixabay
FOTO: Pixabay
Leitura:

Em entrevista ao Passando a Limpo desta segunda-feira (13), o empresário Rodrigo Santiago comentou a volta do coronavírus à Singapura, que era tido como um exemplo mundial no combate à doença. O colaborador é natural de Garanhuns, no Sertão de Pernambuco, e mora no país asiático há três anos.

Segundo o empresário, ainda em janeiro, quando houve a confirmação do primeiro caso de um turista chinês de Wuhan, Singapura adotou restrições rígidas de viagem e uma operação de rastreamento de contatos, com três ligações ao dia, que conteve inicialmente a propagação do vírus. No entanto, uma segunda onda de contaminação aconteceu quando a pandemia se instalou na maioria dos países e os singapurianos voltaram ao país natal vindo de países que não tomaram as devidas precauções para conter o vírus. Dessa forma, na última semana os números de casos confirmados dispararam.

“O país tinha uma média de 50 a 60 casos por dia, agora estamos batendo recorde com uma média de 200 casos por dia, quando a contaminação chegou a periferia, aos trabalhadores da construção civil que moram em instalação que eles compartilham quartos com até 12 pessoas. Nesses lugares o isolamento social é muito difícil de acontecer e a contaminação foi para um patamar que a gente não esperava ter”, disse.

>> Conheça o perfil dos novos óbitos por coronavírus em Pernambuco

De acordo com Rodrigo, existe uma responsabilidade social em Singapura que faz com que as pessoas coloquem o coletivo acima do individualismo. Nesse sentido, foi adotado um isolamento parcial, com escolas e empresas não essenciais fechadas, e uma ordem para que as pessoas fiquem em casa.

“A pandemia tem sido muito eficiente em destacar as fraquezas de cada país. Num país que já possuía crise política, econômica, educacional, hospitalar, isso acaba sendo evidenciado. Singapura é um país super desenvolvido, com um PIB per capita de 75 milhões de dólares. Se esse número for comparado ao Brasil, é sete vezes superior. É um país que fez o seu dever de casa. Na hora de combater uma crise como essa, que requer um esforço de toda sociedade, um país como Singapura está muito mais preparado", detalhou.

>> Brasileiro em Hong Kong fala de ações que achataram curva de crescimento do coronavírus no local

O colaborador também disse que o governo tem buscado concretizar ações para ajudar economicamente a população e também as empresas. “Aqui eles lançaram um pacote de ajuda para todos os singapurianos que de alguma forma estão no grupo de risco e aqueles que trabalham como autônomos. O governo destinou 21 bilhões de dólares para socorrer essa população, que acaba sendo 9 entre 10 cidadãos que vão receber. Tem um esforço conjunto do governo de proteger o cidadão, mas também proteger as empresas. Eles estão olhando de que forma conseguem manter o fluxo de caixa das empresas”, finalizou Rodrigo Santiago.

Ouça a entrevista na íntegra:


Mais Lidas