TURISMO

Diretora da Abav alerta consumidores sobre promoções de viagens durante crise do coronavírus

Fátima Bezerra concedeu entrevista à Rádio Jornal e afirmou que as companhias não estão negociando nenhum tipo de pacote durante a pandemia da covid-19

Publicado em 17/04/2020 às 11:08
Pixabay
FOTO: Pixabay
Leitura:

O avanço do novo coronavírus em todos os cantos do mundo provocou efeitos imediatos no setor de turismo. Com isso, cresceu na população uma preocupação de um possível aumento exorbitante nos preços das passagens quando as viagens internacionais voltarem a ser liberadas. No entanto, em entrevista à Rádio Jornal nesta sexta-feira (17), Fátima Bezerra, diretora da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), descartou a possibilidade, alegando que ninguém vai pagar por preços exorbitantes.

“Não temos nenhuma informação oficial sobre isso. É importante que as pessoas não fiquem encantadas com as promoções que estão aparecendo na internet, por exemplo, com pacotes para Cancun com passagens e hotel por R$ 999. As companhias não estão negociando nada. O crescimento vai ser lento e não pode ter preços exorbitantes, porque não tem quem pague. Acredito que vamos ter promoções sim, mas não acredito que os preços serão exorbitantes, porque o mercado é quem vai monitorar isso”, apontou.

>> Coronavírus: Governo de Pernambuco decreta quarentena em Fernando de Noronha

>> Mercado financeiro prevê queda de 1,96% na economia este ano

De acordo com Fátima, o setor de turismo se encontra totalmente parado diante da pandemia do coronavírus. “As empresas estão sem faturamento desde o dia 15 de março, ou seja, 30 dias sem faturamento. Uma agência de viagens depende totalmente das empresas aéreas, hotelarias, cruzeiros marítimos, parques de diversões, de todo um setor de entretenimento. Vamos esperar até o início de junho, na melhor das hipóteses, para retomar as atividades”, explicou.

Mesmo diante da paralisação, ela afirmou que o trabalho continua em torno de um planejamento futuro. “O setor de turismo foi o primeiro a ser afetado e será o último a ser retomado, mas também as pessoas vão querer viajar. Enquanto isso, vamos mantendo os contatos com os clientes mais humanizados, mantendo o relacionamento, porque a gente não tem nem como montar pacotes de viagens. Os hotéis, restaurantes, lojas, estão todos fechados. Estamos trabalhando com planejamento já para 2021”, finalizou.

Ouça a entrevista com Fátima Bezerra na íntegra:

Mais Lidas