É falsa a informação de que elevador potencializa casos de coronavírus em bairros nobres do Recife

Não há estudos que comprovem a relação do uso de elevadores com os altos índices de coronavírus em bairros nobres da capital pernambucana

FAKE NEWS
É falsa a informação de que elevador potencializa casos de coronavírus em bairros nobres do Recife

Praia de Boa Viagem, Zona Sul do Recife - Foto: JC Imagem

É falsa a informação que tem circulado nas redes sociais apontando que os altos índices de coronavírus nos bairros de Boa Viagem e Casa Forte, na Zona Sul e Zona Norte do Recife, respectivamente, seriam ocasionados pelos elevadores dos prédios. A fake news começou a circular nesta quarta-feira (22) e, diferentemente do que diz a publicação, não há estudos que comprovem a informação. As autoridades de saúde da capital pernambucana e de Pernambuco não divulgaram nenhuma pesquisa neste sentido.

A Rádio Jornal, que usa no Recife a frequência 90,3 FM, citada no texto que viralizou, esclarece que nenhum médico afirmou na sua programação que os casos da doença em bairros de classe média alta estariam associados ao uso de elevadores.

Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, Recife é a cidade pernambucana com mais casos confirmados da covid-19 até o momento. A capital contabiliza mais de 1.600 casos. O bairro de Boa Viagem tem 144 pessoas infectadas pelo coronavírus, enquanto Casa Forte contabiliza 14.

Locais fechados podem ser um risco 

Se por um lado não há estudos vinculando o contágio em bairros de classe média alta aos elevadores, o infectologista Gabriel Serrano alerta para o risco de contaminação em ambientes fechados. "Nós sabemos que o coronavírus infecta, principalmente, as vias aéreas das pessoas. É por elas também que ele é transmitido. Ele pega uma espécie de carona em pequenas gotículas que nós liberamos ao tossir, espirrar ou, simplesmente, ao falar. Essas gotículas podem ficar flutuando no ar. As gotículas maiores caem após alguns minutos, mas as menores podem durante até horas, cerca de três horas, principalmente num ambiente fechado”, detalhou.

O infectologista alerta para o risco de ambientes fechados como elevadores. “Os elevadores são ambientes fechados que não têm a circulação de vento, normalmente, e que também não têm luz natural, que é outra coisa que pode ajudar a acabar com o vírus. Depois de ficar até três horas flutuando no ambiente o coronavírus se deposita nas paredes, pode se depositar nos botões, no chão”, disse. “Alguém que entra no elevador de forma desprotegida pode tanto estar disseminando o vírus, sem saber que o tem, como estar inalando o vírus. Ao tocar em alguma dessas superfícies ele pode depois acabar tocando no rosto numa região de mucosa, que seria nariz, olho ou boca, e se infectar”, completou.

Segundo o infectologista, o ser humano pode tocar até 23 vezes por hora no rosto sem perceber.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.