Grupo produz escudos para proteger recém-nascidos do coronavírus

Neonatologista alerta que não há estudos que conduzam o uso dos escudos nos recém-nascidos e é preciso cuidado na hora de colocar o equipamento no bebê

CUIDADO
Grupo produz escudos para proteger recém-nascidos do coronavírus

Equipamento protege recém-nascidos do novo coronavírus - Foto: Cortesia

Não são só os adultos que precisam se cuidar contra o novo coronavírus, os recém-nascidos também merecem atenção especial. De tão pequenos e frágeis que são, eles não conseguem usar máscaras e nem mesmo praticar o isolamento social por completo, já que precisam sair para as consultas obrigatórias. Mas, para garantir a proteção dos pequenos, um médico e um projeto social estão produzindo escudos faciais para ajudar os bebês.

A parceria entre o médico neonatologista José Henrique Moura e o grupo Cuidar de Quem Cuida da Gente surgiu após eles verem a utilização dos escudos em recém-nascidos em outros países.

Como ainda não há estudos, e nem um modelo definitivo, o médico neonatologista José Henrique alerta sobre alguns cuidados necessários. “O principal é o acoplamento. Ele não pode ficar apertado. Ele tem um dispositivo atrás tipo um elástico que também não pode apertar muito a cabecinha, não pode estar direto em contato com a pele, o ideal é que tenha um gorro e que também não seja com pressão muito grande porque aí pode causar alguma lesão”, detalhou.

O neonatologista alertou ainda para a importância de retirar o objeto, evitando que ele passe mais de três horas em contato com o recém-nascido. Outro cuidado importante é fazer a higienização do escudo, que pode ser lavado com água e sabão após o uso.

Como ajudar

O grupo Cuidar de Quem Cuida da Gente está confeccionando escudos também para adultos. Para ajudar, é só acessar a vakinha online e conhecer o projeto.

Confira abaixo um pouco do trabalho desenvolvido pelo grupo:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.