MORTES

Cemitérios do Recife se preparam para alta de mortes por coronavírus


Prefeitura está abrindo mais covas nos cemitérios da capital pernambucana

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 28/04/2020 às 8:59
Tião Siqueira/TV Jornal
FOTO: Tião Siqueira/TV Jornal
Leitura:

A pandemia do novo coronavírus tem gerado caos nos cemitérios de cidades brasileiras devido ao grande número de óbitos causados pela doença. O Recife ainda não enfrenta o problema, mas a prefeitura tem se preparado para o aumento de sepultamentos de pacientes da covid-19.

Em entrevista à Rádio Jornal, o secretário de Infraestrutura do Recife, Roberto Gusmão, garantiu que a cidade não está com dificuldades com o quadro de coveiros neste momento de pandemia. “Desde o dia 15 de março, quando houve a primeira vítima [fatal] do coronavírus no país, o prefeito reuniu a equipe e a secretaria ficou com duas missões importantes: ajudar a Secretaria de Saúde a fazer mais leitos e antecipar muitas medidas que nós estamos fazendo desde 2016 nos cemitério de reforma e ampliação”, explicou. “A gente fez uma aplicação de quase mil novas covas no cemitério do Parque das Flores e a trouxe uma tecnologia importante porque o cemitério de Santo Amaro, que não tinha mais espaço. Era um espaço que precisava ser verticalizado. [Fizemos] A colocação de mais mil espaços que 400 devem estar disponíveis já essa semana se for preciso”, completou.

Cinco cemitérios na cidade

A Prefeitura do Recife é responsável pela administração de cinco cemitérios localizados nos bairros de Santo Amaro, Tejipió, Sancho, Várzea e Casa Amarela. Segundo o secretário, a Região metropolitana do Recife tem 3 cemitérios privados, sendo dois com crematórios e que podem dar um suporte neste momento.

Segundo Roberto Gusmão, as vítimas do coronavírus estão sendo sepultadas em todos os cemitérios da capital pernambucana, mas com alguns cuidados. “A demanda maior normalmente é no Parque das Flores e em Santo Amaro. Nós temos todo um atendimento especial para essas pessoas “, disse.

O secretário ainda lembrou que velórios não estão permitidos por conta da aglomeração de pessoas e o risco de contaminação do coronavírus. “O Cemitério do Parque das Flores tem um toldo com assistência social acompanhando parte da família, duas ou três pessoas, que pode acompanhar a cerca de 50 metros quando é feito pela manhã”, disse.


Mais Lidas