ADOLESCENTE

Polícia Civil investiga assassinato de Tuca Almeida, ex-The Voice Kids

Tuca Almeida, de apenas 15 anos, foi morto a tiros nesta quinta-feira; alvo seria o cunhado da vítima

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 01/05/2020 às 13:08
Reprodução/Instagram
FOTO: Reprodução/Instagram
Leitura:

Vai ser sepultado nesta sexta-feira (1), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, o corpo de Arthur Almeida, de 15 anos, mais conhecido como Tuca Almeida. O garoto, que participou do programa The Voice Kids, foi morto a tiros na noite desta quinta-feira (30) em um estabelecimento comercial onde funciona uma casa de serviços estéticos, no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes. Em nota, a Polícia Civil de Pernambuco informa que segue trabalhando para solucionar o crime e prender os responsáveis.

De acordo com a polícia, seis homens encapuzados entraram no estabelecimento efetuando vários disparos de arma de fogo, que atingiram o garoto. Tuca Almeida morreu no local.

Ainda segundo a polícia, o alvo dos criminosos seria o cunhado do adolescente que estava com ele no momento do crime e conseguiu fugir. As investigações iniciais da polícia dão conta que o cunhado de Tuca Almeida é um presidiário que cumpre pena em regime aberto.

O jovem cantor, natural de Belo Horizonte, morava em Pernambuco desde 2014. Tuca Almeida ficou conhecido no Brasil inteiro em 2018 após participar do reality show The Voice Kids.

Nota completa da Polícia Civil

A Polícia Civil de Pernambuco, por meio de equipe da Força Tarefa de Homicídios Metropolitana Sul - sob coordenação do delegado Fábio Lacerda, registrou o homicídio de um jovem, de 15 anos de idade, ocorrido nesta quinta-feira (30), por volta das 17h, no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes. De acordo com informações preliminares, um grupo formado por seis homens encapuzados adentrou em um estabelecimento comercial, efetuando disparos de arma de fogo. Procuravam, supostamente, pelo cunhado da vitima, que estava no local acompanhando o jovem, e conseguiu fugir. Esse cunhado, pelas investigações iniciais, é um presidiário que se encontra no regime aberto por recente progressão de regime. O caso seguirá sob responsabilidade da 12a DPH, que tem o delegado Ícaro Schneider como titular. A PCPE só se pronunciará ao término da investigação, cujas diligências não cessarão até a devida elucidação e captura dos responsáveis.

Mais Lidas