Rede formada por especialistas defende que Pernambuco adote lockdown

A adoção do lockdown, medida caracterizada pelo isolamento total, evitaria também o colapso da rede de saúde

CORONAVÍRUS
Rede formada por especialistas defende que Pernambuco adote lockdown

Isolamento total ajudaria a reduzir o avanço do coronavírus nessas cidades - Foto: JC Imagem

Com 8.863 casos confirmados e 691 óbitos registrados, de acordo com o secretário Estadual de Saúde, André Longo, o Governo de Pernambuco já estuda estratégias para intensificar as medidas de isolamento social a fim de achatar a curva de infecção do novo coronavírus (covid-19) no estado. O grupo Rede Solidária em Defesa da Vida, formado por pesquisadores, professores, profissionais de saúde e diversas áreas, defendem que o estado deve decretar lockdown, medida caracterizada pelo isolamento total.

A médica sanitarista e pesquisadora da Fiocruz, Tereza Lyra, que faz parte da Rede Solidária em Defesa da Vida, destaca que a adoção do lockdown evita o colapso da rede de saúde. “Para gente evitar o colapso absoluto da rede a nossa última recomendação é que se adote o lockdown para a Região Metropolitana e o Recife, sobretudo (...) Ou seja, de fato, as pessoas só devem circular para questões essenciais, comprar alimentos, remédio na farmácia, para se descolar para o trabalho, aqueles que exercem serviços essenciais e se precisar ir a um serviço de saúde”, disse.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, explica que o governo está estudando um isolamento mais rígido. “A gente está desenhando esse processo, estudando como fazer da melhor maneira possível para gente garantir que ele seja exitoso. É muito importante nesse momento achatar a curva para que a gente chegar ao pico da epidemia com um número menor de casos e de mortes”, apontou o secretário.

Ainda segundo André Longo, o governo também avalia tornar obrigatório o uso de máscaras. “A gente está avaliando quando será dado esse passo, mas certamente passará a ser uma obrigação de todos os pernambucanos”, afirmou.

Tereza Lyra destaca ainda que cada pessoa que não adoece, ajuda a proteger também os profissionais que atuam na linha de frente da pandemia. “A gente também tem que proteger também essas pessoas que estão ali na linha de frente no cotidiano, que é tenso, estressante. Esses profissionais estão se expondo ao risco de adoecer. Cada pessoa que não adoece, a gente desafoga a rede pública de saúde em todos os aspectos”, alertou.

Isolamento no estado

O levantamento divulgado nesta segunda pelo Ministério Público de Pernambuco aponta que Pernambuco tem um índice de isolamento de 52,24%, longe do ideal de 70%, segundo as autoridades de saúde. As cidades que lideram a adesão ao isolamento são Granito e Olinda no primeiro lugar, com 61,7% da população isolada; seguidas por Paulista, com 61,6%; e Camaragibe com 60,9%. Recife, a capital pernambucana, aparece na 23ª posição, com 58,2%.

Tem início nesta terça-feira nos municípios de São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar, ambos no estado do Maranhão, o bloqueio total de todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde. De acordo com a decisão da Justiça maranhanse o lockdown deve ser cumprido por dez dias.

Números de Pernambuco

São 8.863 confirmações da covid-19 no estado e 220 novas confirmações foram registradas nesta segunda-feira (4). Dos 8.863 casos, 5.470 são considerados graves e 3393 leves. Dos pacientes graves, 2.040 estão em isolamento domiciliar e 1.504 internados, sendo 223 em UTI's.

Outros 1235 pacientes já se recuperaram da doença. Também foram confirmadas 39 novas mortes. As vítimas mais recentes tinham entre 31 e 90 anos. Ao todo, 691 pessoas morreram em decorrência da covid-19.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.