POLÍTICA

Acho que tem que ter um pouco mais de tolerância, diz FHC sobre impeachment de Jair Bolsonaro


FHC também criticou a postura do ex-presidente Lula em tentar se manter no foco do debate político

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 26/06/2020 às 16:50
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu, em entrevista à Rádio Jornal nesta sexta-feira (26), que este não é o momento para falar em impeachment do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido). Na avaliação de FHC, é preciso ter mais tolerância e, caso haja erros insustentáveis, a saída do presidente pode ser pensada.

"Nós nos acostumamos a tirar do poder [com] impeachment. Como agora. Eu não sei nem se tem razão. Se inventa a razão, se cria a razão. Eu acho que tem que ter um Se o presidente errar muito, aí não há o que fazer (...) Nós criamos uma democracia que é relativamente jovem e já tiramos dois presidentes. É muita coisa. Eu acho que tem que ter um pouco mais de tolerância", disse.

Fernando Henrique ainda comento que também questionou, inicialmente, o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. "A presidente Dilma, eu fui muito reticente até que não havia mais jeito. E quando não há mais jeito? Quando o governo para de governar, quando a rua começa a gritar e quando o governo incorre em alguma coisa da Constituição e da lei. Tem que ter esses fatores juntos, mas não é bom", comentou.

Ele acredita que não deve haver “pregação pelo impeachment” e que torce para que Jair Bolsonaro faça um bom governo. “De minha parte, não acho que devo proclamar ‘quero derrubar’. Quero que o presidente dê certo. Se não der certo, paciência. É feito fruta: quando apodrece, cai do galho”, comentou.

FHC ainda revelou que anulou o voto no segundo turno das eleições de 2018 por não concordar com os erros do PT e com a agenda de campanha de Jair Bolsonaro. “Foi a primeira vez na vida que anulei meu voto (...) Não queria dar meu voto ao PT porque o PT havia sido bastante desastrado com a condução política do país e não concordava com a possibilidade de Bolsonaro com sua agenda negativa”, comentou.

Lula

Fernando Henrique Cardoso ainda criticou o ex-presidente Lula (PT) por tentar se manter no foco do debate político. “Não acho que ele tenha tido, quando saiu da prisão, um comportamento de um líder nacional. O líder nacional tem que olhar para o Brasil e dizer ‘vamos ver o que podemos fazer para melhorar esse país’. Ele pensa que vai voltar de novo ao poder sozinho. Cada um tem suas ilusões. Deixa para lá”, comentou.


Mais Lidas