Pandemia

Pesquisadora diz que crise do novo coronavírus tem maior impacto nos mais pobres


A economista e pesquisadora Lúcia Garcia participou de entrevista no programa Rádio Livre

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Publicado em 23/07/2020 às 21:44
Tião Siqueira / JC Imagem
FOTO: Tião Siqueira / JC Imagem
Leitura:

A crise provocada pelo novo coronavírus tem impacto ainda maior para os mais pobres. Isso porque as contas do desastre econômico provocado pela pandemia da covid-19 vai afetar principalmente a população menos abastada de países como Brasil, Argentina e México.

As previsões de um relatório da comissão econômica das nações unidas para a América Latina e o Caribe evidenciam que a pobreza vai aumentar nas três principais economias da América Latina. Cerca de 10,8% na Argentina, 7,7% no Brasil e 7,6% no México. A situação, que já é difícil, vai ficar ainda mais complicada.

No programa Rádio Livre da Rádio Jornal, os apresentadores Anne Barretto e Leandro Oliveira entrevistaram a economista e pesquisadora do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, Dieese, Lúcia Garcia.

A pesquisadora destacou que os impactos da pandemia do novo coronavírus foram maiores nos países da América Latina e os países do continente Africano, que já sofriam com as crises econômicas de anos anteriores. “Nós já tínhamos notícias de situações bastante difíceis no Chile, no México, e na própria Argentina, bem antes da eclosão da covid-19. E que no Brasil nós estamos desde 2015 vivendo uma crise, a qual nós não nos recuperamos ainda. A pandemia atinge os países em diferentes momentos econômicos, de organização e de coordenação social”. Frisou.

Entre os assuntos abordados, a previsão de queda no PIB na América Latina, o aumento da informalidade, burocracia e altas taxas de empréstimos para empresas no país, taxa de desemprego reflexo da pandemia nos empregos.

Ouça a entrevista na íntegra:


Mais Lidas