Investigação

Polícia Federal investiga irregularidades cometidas pela Prefeitura do Recife na compra de material para combate à covid-19


Operações “Bal Masqué” e “Apneia” que envolvem a Prefeitura do Recife foram deflagradas nesta quinta-feira (23)

Carol Coimbra
Carol Coimbra
Publicado em 23/07/2020 às 10:07
Tião Siqueira/JC Imagem
FOTO: Tião Siqueira/JC Imagem
Leitura:

Nesta quinta-feira (23), a polícia Federal (PF), em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF), está nas ruas para deflagrar as operações Apneia e Bal Masqué. A primeira mira a compra de respiradores para o tratamento de pacientes com covid-19 e a segunda de material médico-hospitalar descartável pela Prefeitura do Recife. As investigações miram irregularidade nessas aquisições.


A operação“Bal Masqué” tem o objetivo de apurar supostas ilegalidades na compra de material médico-hospitalar descartável (máscaras, toucas e aventais). Os equipamentos viriam de dispensas de licitação efetuadas pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Saúde, com recursos provenientes do SUS/Ministério da Saúde para fomento e ações de combate ao covid-19. O total gasto na compra desses materiais seria de aproximadamente R$ 15 milhões.


Ja a operação denominada “Apneia”, que está em sua terceira fase, decorre da investigação de irregularidades em contratos celebrados através de dispensas de licitação pela também pela prefeitura da cidade, através da Secretaria de Saúde. O órgão teria realizado uma aquisição de respiradores pulmonares em caráter emergencial, para combate à pandemia no município.

Ouça a reportagem de Mônica Ermínio sobre a operação Bal Masqué:


Mais Lidas