evento virtual

Congresso no Recife celebra mês da mulher negra latino-americana e caribenha


O evento é fruto de uma parceria do coletivo Abayomi Juristas Negras com a comissão de igualdade racial da OAB Pernambuco e Uninabuco

Carol Coimbra
Carol Coimbra
Publicado em 24/07/2020 às 13:51
Reprodução/Instagram
FOTO: Reprodução/Instagram
Leitura:

Nesta sexta-feira (24) e neste sábado (25) será realizado o congresso “Mulheres Negras: entre dororiedade e multipotencialidade.” . O evento em comemoração ao mês de julho que é o mês da mulher negra latino-americana e caribenha, é realizado em uma parceria da Abayomi Juristas Negras com a Comissão de Igualdade Racial da OAB Pernambuco e Uninabuco, e acontece de forma online. O tema do mês serve para lembrar que a luta pelo fim do racismo e descriminação de gênero não pode parar.

Com painéis e discussões protagonizadas por mulheres negras, o congresso terá a participação da escritora Vilma Piedade, da juíza criminal, Karen Luise e da promotora de justiça Lívia Santanna Vaz.
A vice presidente da Comissão de Igualdade Racial, Débora Gonçalves é uma das organizadoras do evento. Ela explica o propósito do congresso.” O propósito do evento somos nós fomentarmos a luta das mulheres negras. Tendo em vista que o dia 25 é o dia da mulher negra latino americana e caribenha. Esse dia é muito importante porque na realidade ele surgiu porque a luta das feministas brancas abarcava todas as lutas travadas pelas mulheres negras e todas as suas particularidades. Então foi importante esse marco do dia 25 para que possamos conversar sobre as nossas lutas.”

Na programação do congresso está a festa “Enquanto isso em Wakanda”, que foi lançada neste ano como prévia carnavalesca em exaltação à cultura negra.

O nome é inspirado na cidade fictícia “Wakanda” do filme da Marvel Studios “Pantera Negra”. No filme, a cidade é habitada inteiramente pela população negra. Débora Gonçalves explica o que a festa representa para a causa: “Wakanda [festa] é como se fosse o nosso quilombo. É o lugar maravilhoso, que a gente pode expressar nossa cultura, onde podemos juntar pessoas negras para expressar cultura, para expressar religiosidade. É o nosso lugar que a gente escolhe para ser o paraíso como se fosse a floresta perfeita. E foi inspirada realmente no filme, e essa é a ideia que a gente quer passar para as pessoas.” Mais informações podem ser encontradas no instagram da Abayomi Juristas.

As inscrições para o congresso “Mulheres Negras: dororidade e multipotencialidade estão abertas no site abre.ai/julhodaspretas2020. Mais informações podem ser encontradas no instagram da Abayomi Juristas Negras.

No restante do Brasil outras pessoas também estão representando a causa. Em todo país, coletivos de mulheres negras preparam o “Julho das Pretas” como é chamado nas redes sociais.

Ouça a reportagem de Airton Vasconcelos na voz de Beatriz Albuquerque:


Mais Lidas