Postos de combustíveis terão que se adequar à nova gasolina

A nova gasolina traz benefícios, mas também tem aumento no preço

GASOLINA
Postos de combustíveis terão que se adequar à nova gasolina

O novo combustível foi anunciado há uma semana. - Foto: Pixabay

Boa parte dos postos da cidade do Recife ainda não recebeu a nova gasolina que já começou a ser vendida em todo o Brasil. Os locais têm pouco mais de dois meses para se adequarem à venda da nova gasolina. Segundo a Petrobras, a nova gasolina substitui a que já existe e promete algumas vantagens, como a redução de 4% a 6% no consumo dos veículos e maior dificuldade de ser adulterada.

Para o coordenador do Laboratório de Combustíveis da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Florival Carvalho, a nova gasolina trará benefícios para o consumidor, entre eles está o aumento na densidade, fazendo com que o novo combustível seja mais pesado. A mudança permite que o veículo rode mais quilômetros com a mesma quantidade abastecida.

O professor aponta outras mudanças do novo combustível. “A segunda alteração diz respeito à taxa de evaporação. Você vai balancear melhor a gasolina e com isso você melhora a dirigibilidade do veículo. Por último é a capacidade que a gasolina tem por resistir à pressão. Quanto mais ela resiste à pressão, [mais] ela vai detonar no ponto que a vela acende, com isso vai diminuir o consumo”, explicou.

Mesmo com benefícios, a nova gasolina chega aos postos com aumento. Segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio da gasolina no Brasil no mês de julho foi de aproximadamente R$ 4,14 por litro. Se for confirmado o aumento de seis centavos por litro, o preço médio subirá para, aproximadamente, R$ 4,20 por litro, um acréscimo de 1,45%.

O ajuste foi prometido pelo Secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro Freire. No entanto, para a economista Amanda Aires, mesmo com o valor maior na bomba, o consumidor terá um melhor resultado na relação custo-benefício.

“Essa melhoria feita no combustível vai ajudar o consumidor para que ele possa economizar no desembolso. Apesar de existir um aumento (...) ele paga mais por um litro, mas vai consumir menos litros de gasolina. Já foram feitos vários testes com vários veículos e a tendência é que o consumidor tenha um ganho que pode chegar até 6%, mas o esperado é um ganho de rendimento de 4,5%. Então acaba, sim, sendo positivo para o contribuinte”, afirmou.

O novo combustível foi anunciado há uma semana. A ANP estipulou que as distribuidoras terão até 60 dias para esgotarem os estoques da gasolina antiga. Já o prazo para os postos é de 90 dias. A partir daí, começa a fiscalização para cobrar os novos padrões de formulação do combustível, que será vendido nas mesmas versões: comum, aditivada e premium.

Multa

A empresa que for flagrada vendendo antiga gasolina após o prazo estipulado vai estar sujeita a processo administrativo, que poderá resultar em multa de R$ 20 mil a R$ 5 milhões.

Ouça a reportagem de Airton Vasconcelos: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.