Movimento Pró-Pernambuco fala de planejamento empresarial para resolver problemas do Grande Recife

Avelar Loureiro Filho, presidente do movimento, explicou a ideia de melhorar a cidade sem divergências políticas partidárias

GRANDE RECIFE
Movimento Pró-Pernambuco fala de planejamento empresarial para resolver problemas do Grande Recife

Projeto pretende mudar a "cara" de Recife e Região Metropolitana. - Foto: Jailton Júnior/TV Jornal

Em entrevista ao Passando a Limpo desta sexta-feira (14), o presidente do Movimento Pró-Pernambuco (MPP), Avelar Loureiro Filho, falou sobre o movimento empresarial que aposta em planejamento de médio e longo prazo para mudar a “cara” do Recife e Região Metropolitana.

“O nosso foco é planejamento de médio e longo prazo. A gente tem vários programas de curto prazo, que a gente tem que resolver e tem que tratar, não podemos negligenciá-los, mas esse novo momento que a gente pretende viver é de planejamento. Obviamente, as questões metropolitanas são muito importantes. O planejamento da nossa metrópole, das cidades, das centralidades é de suma importância para o nosso futuro. Isso afeta a forma como a gente se transporta, afeta a forma como a gente se diverte, como a gente estuda. Então, planejar o ambiente é fundamental para resolver os nossos problemas”, afirmou.

Loureiro Filho também explicou como estão as negociações com os políticos para o planejamento das mudanças na cidade saírem do papel.

“O MPP, o Movimento Pró- Pernambuco, ele é um movimento apolítico e apartidário, então, o que a gente está buscando? Está buscando as convergências. Todos os setores da sociedade, seja setor público, produtivo, academia, terceiro setor, têm algumas convergências. Essa questão que eu falei, sobre o planejamento das cidades, é motivo de ênfase de todos, é motivo dos empreendedores, os comerciantes, os movimentos sociais, eu cito aqui o Ocupe Estelita, academia, as universidades. Há uma convergência de ideias em todos esses setores, a gente tem que quebrar o paradigma que temos lados, que um defende uma coisa e o outro necessariamente tem que ser oposto. Alguém tem dúvida que as cidades tem que ser compactas, tem que ser diversas, tem que ser inclusivas? Eu acho que isso é uma convergência de todos. Isso independente da política no sentido partidário ou de governo. Isso é atemporal, isso vai exatamente planejar o futuro para as próximas décadas”, disse Avelar.

Confira a entrevista na íntegra: 

 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.