Após saída de Dallagnol, força-tarefa da Lava Jato em São Paulo pede demissão coletiva

Sete procuradores encaminharam o pedido de desligamento a Augusto Aras

LAVA JATO
Após saída de Dallagnol, força-tarefa da Lava Jato em São Paulo pede demissão coletiva

As demissões acontecem em meio a embates entre a PGR e as forças-tarefas - Foto: Tânia Rêgo/ABr

Após a saída do procurador da República Deltan Dallagnol da coordenação da Operação Lava Jato em Curitiba, sete procuradores da operação em São Paulo pediram desligamento coletivo da força-tarefa. O ofício foi encaminhado ao procurador-geral da República Augusto Aras, nessa quarta-feira (2). 

Uma das baixas foi da coordenadora do grupo, a procuradora Janice Ascari. Ao entrarem com pedido de exoneração, os procuradores alegaram incompatibilidade insolúveis com a atuação da procuradora natural do caso, Viviane de Oliveira Martines. 

Os procuradores deverão deixar as funções no mês de setembro. As demissões acontecem em meio a embates entre a Procuradoria Geral da República (PGR) e as forças-tarefas sobre troca de informações e a forma como os processos são distribuídos. 

Saída de Dallagnol 

Deltan Dallagnol anunciou sua saída da Operação na última terça-feira (1º). Segundo o procurador, os motivos foram familiares, visto que sua filha passará por tratamentos médicos. 

O posto será assumido por Alessandro José Fernandes de Oliveira, que atualmente faz parte do grupo de trabalho da Lava Jato da PGR. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.