Loja é autuada com R$ 600 mil em roupas falsificadas, na Zona Norte do Recife

A loja vendia peças de vestuário e chamou a atenção dos policiais pela grande movimentação e preços abaixo do mercado

OPERAçãO "JOGO DA IMITAçãO"
Loja é autuada com R$ 600 mil em roupas falsificadas, na Zona Norte do Recife

As mercadorias encontradas no estabelecimento e vendidas no local eram camisas, bermudas, tênis, bonés, entre outras peças falsificadas. - Foto: Freepick

A Operação denominada de “Jogo da imitação” foi deflagrada pela Polícia Civil de Pernambuco em parceria com a Receita Federal, nesta quarta-feira (16). Na investigação foram apreendidas roupas falsificadas de diversas marcas em uma loja da Zona Norte do Recife. Juntas, as peças somatizam em torno de R$ 600 mil reais.

A titular da delegacia de proteção ao consumidor que conduziu as investigações, Thais Galba, contou o motivo da investigação na loja.

“A localização da loja, que estava às margens da BR-101, em um local de fácil acesso e de grande visibilidade, e o volume de comercialização chamaram nossa atenção para loja”, relatou.

A delegada afirmou que a quantidade de roupas apreendidas foi uma surpresa para os policiais. “Fomos com uma estimativa de apreender uns 60% do que apreendemos. O que o proprietário tinha em depósito chamou atenção. Sabíamos que ele tinha esses estabelecimentos, mas o segundo depósito era um prédio inteiro de três andares completamente lotado de mercadoria”, detalhou.

As mercadorias encontradas no estabelecimento e vendidas no local eram camisas, bermudas, tênis, bonés, entre outras peças falsificadas. As marcas iam de Armani à Ferrari. Segundo a delegada, a desproporção no preço era gritante. “Assim que entramos na loja a primeira pergunta que eu fiz foi o valor de um boné de uma marca específica e a informação que a pessoa que estava no caixa me deu era que o boné custava apenas R$ 20. Esse mesmo boné é encontrado em qualquer comércio de shopping center no mínimo perto de uns R$ 200”.

Origens dos produtos

“Considerando que são materiais similares a importados pressupomos por enquanto que é um material que vem de fora”, informou a delegada.

Prisões

Na operação foram presas quatro pessoas, foram elas a gerente do estabelecimento e três vendedores que estavam no local. Eles foram autuados por crimes contra a marca, concorrência desleal, contra o consumidor e contra relação de consumo.

Conscientização

A delegada Thais Galba falou sobre a importância de não consumir mercadorias falsificadas.

“As pessoas compram esses produtos acham que não estão fazendo mal algum, só estão comprando mais barato. Mas, elas estão, sem saber, fomentando um crime organizado por trás”, alertou.

Ouça a reportagem de Leonardo Vasconcelos: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.