Greve dos Correios

Correios: Tribunal Superior do Trabalho mantém reajuste e determina fim da greve


Com a greve, o reajuste foi de 2,6% no salário dos empregados

Publicado em 22/09/2020 às 7:17
Fotos Públicas
FOTO: Fotos Públicas
Leitura:

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) julgou, nessa segunda-feira (21), o dissídio coletivo dos trabalhadores dos Correios, que estão em greve desde o dia 18 de agosto. O TST decidiu aplicar reajuste de 2,6% no salário dos empregados.

Com a decisão, os funcionários devem retomar o trabalho nesta terça-feira (22), com pena de multa diária de R$ 100 mil aos sindicatos em caso de descumprimento.

O acordo coletivo foi reduzido em 50 cláusulas. Os Correios queriam manter no acordo apenas o que prevê a legislação e não queriam reajustar o salário dos empregados. Já os trabalhadores lutavam pela manutenção do dissídio coletivo julgado pelo TST em 2019, com validade de dois anos, mas que foi suspenso pelo Supremo Tribunal Federal (STF) à pedido da empresa.

A estatal se negou a discutir uma proposta de acordo durante as negociações no TST. O tribunal ainda decidiu que a greve não foi abusiva, já que os trabalhadores foram provocados pelos Correios com a retirada dos direitos previstos no acordo.

Sindicatos irão avaliar o resultado

Os trabalhadores devem ter metade dos dias parados descontados e a outra metade compensada em horas extras. Em nota, a Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios afirmou que o judiciário compactuou com a retirada dos direitos históricos da categoria. A Federação orientou os sindicatos a realizarem assembléia nesta terça como forma de avaliar o resultado do julgamento.

Ouça a reportagem na íntegra:


Mais Lidas