Professores da rede pública de Pernambuco decretam greve

A categoria decidirá na próxima segunda-feira (5) se deflagra a greve

GREVE
Professores da rede pública de Pernambuco decretam greve

Segundo o presidente do Sintepe, nem todas as escolas oferecem a estrutura necessária para o retorno - Foto: Felipe Ribeiro/ JC Imagem

Rádio Jornal

Os professores da rede estadual de Pernambuco decidiram entre em greve, por conta da decisão do Governo de Pernambuco em permitir o retorno das aulas presenciais, inciando com os estudantes do ensino médio. Em assembleia realizada por meio de videoconferência, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) e mais de 1.500 professores e trabalhadores da rede estadual de ensino optaram por decretar a greve (antes, era estado de greve). 

De acordo com a vice-presidente do Sintepe, Valéria Silva, a greve foi decretada porque a categoria não concorda com o retorno às aulas sem que as escolas apresentem as condições necessárias para cumprimento dos protocolos sanitários.

“Nós fizemos a assembléia que aprovou não retornar para as aulas presenciais, continuar em trabalho remoto, e nessa assembléia que foi na quinta-feira passada nós aprovamos o estado de greve, que é um estado de alerta. De lá pra cá nós tivemos conversa, negociação com o governo, com o secretário de educação, porém até hoje a gente não conseguiu avançar em uma proposta que tirasse todos nós desse impasse. A nossa defesa é a defesa de não retorno agora porque entendemos que o momento ainda não é o momento que nos dê segurança. Eu to falando dos professores, dos trabalhadores da educação, dos estudantes, dos pais. Quando eu falo, eu falo da comunidade escolar de modo geral e da sociedade porque a educação ela gera um impacto grande ao retornar. Então infelizmente a gente não conseguiu avançar. Hoje nós fizemos uma assembléia, narramos o que fizemos essa semana de discussões, de reunião com o governo e na assembléia a categoria  decidiu pela decretação da greve”, completou.

Ainda segundo a vice-presidente do Sintepe, na próxima segunda-feira (5), a categoria vai se reunir novamente com o governo estadual e, realizar nova assembleia no dia 5 de outubro, um dia antes do inicio das aulas, para decidir se a greve vai continuar.

“Não decretamos hoje para na segunda-feira (5) em nova assembléia a gente avaliar se deflagra ou não. Mais de 70% dos votos  aprovou decretação da greve hoje e a deflagração na próxima segunda ou não”, frisou.

Cronograma 

O retorno das aulas presenciais para o ensino básico está marcado para o dia 06 de outubro, começando com os estudantes que estão no 3º ano do ensino médio. Em seguida, será a vez do 2º ano, no dia 12 de outubro, e 1º ano, no dia 20 de outubro. A retomada é opcional, ou seja, os pais decidem se vão deixar seus filhos, menores de idade, retornarem às aulas presenciais.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.