Estreante na política, Celso Muniz (MBD) quer aproximar Prefeitura de Olinda do setor privado

Celso Muniz disse que resolveu entrar para a política por conta da família

ELEIÇÕES 2020
Estreante na política, Celso Muniz (MBD) quer aproximar Prefeitura de Olinda do setor privado

Candidato a prefeito de Olinda Celso Muniz (MDB) - Foto: JC Imagem

Empresário e estreante em uma eleição, o candidato à Prefeitura de Olinda Celso Muniz (MDB) decidiu entrar para política por questões familiares. Ele foi o segundo candidato a participar da sabatina da Rádio Jornal, nesta terça-feira (6).

“Acho que é o sangue da minha mãe. Ela é de Salgueiro, neta de coronéis do Sertão. Toda a família vive a política há muitos e muitos anos, acho que por conta disso o sangue está na política”, afirmou. Para ele, apesar de não ter ingressado na política há muito tempo – Ele se filiou ao MDB em 2019 – a militância não é algo recente na vida dele. “Eu venho sempre ajudando os amigos, ajudei Armando Monteiro nas eleições de 2014 e 2018. Eu digo sempre aos meus amigos empresários que nós temos que participar da vida política do País. Se a gente não participar, a gente não pode depois reclamar de nada”, disse.

Para Celso Muniz, o que falta ser feito em Olinda é drenagem, contenção de encostas e priorizar a área da saúde. O empresário Celso Muniz reforçou que a cidade de Olinda precisa de planejamento. “Nossa proposta para Olinda tem planejamento, tem uma forma de fazer diferente. A gente quer que a gestão pública fique próxima da privada. A questão de Olinda é difícil, não é fácil, mas é uma luta que eu estou com muita vontade de fazer", disse.

Executivo do Grupo Celso Muniz e responsável pela administração do Shopping Patteo Olinda e do Shopping Boa Vista, no Recife, o candidato apresentou como uma de suas principais propostas, um polo turístico em torno do Sítio Histórico. Segundo o empresário, dois pilares básicos serão postos em prática: fazer com que a gestão pública se aproxime da privada e apostar no desenvolvimento econômico. “Primeira coisa a fazer é organizar a casa. Você chega em Olinda e não sabe a hora que abre o museu, a hora que abre o ateliê, hora que abrem as agremiações, a hora que abre a igreja. Ou seja, você não se comunica, e consequentemente você não consegue informar aos agentes de viagem o que tem em Olinda”, afirmou.

Plano de governo 

Questionado sobre a falta de detalhes em relação à saúde e educação em seu plano de governo, o candidato disse que teria que discutir gestão pública e dar um passo para trás para abordar fatores que influenciam nessas áreas. Para ele, Olinda tem uma grande quantidade de cargos comissionados e de contrato. “Você tem que fazer uma redução drástica disso, acho que (retirar) metade dos cargos comissionados, metade dos cargos de contratos. Assim você pode efetivamente fazer a qualificação e a capacitação de profissionais, tanto da área da saúde, quanto da área da educação e de assistência social”, pontuou.

Barracão da Cultura 

Celso Muniz (MDB) falou sobre a proposta de inaugurar um local chamado “Barracão da Cultura” e fazer uma virada cultural de Olinda, inspirado no evento de mesmo nome em São Paulo. “O Barracão a gente já sabe como fazer. Vamos colocar no calendário de Olinda, em que cada dia da semana vai ter uma atividade: frevo, maracatu, forro, samba, hip hop, música afro. A gente vai dar o apoio no início e depois ensinar o pessoal a fazer o evento sozinho, para depois de um determinado momento nós sairmos e as pessoas continuarem fazendo”, contou.

Ouça a entrevista completa:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.