Polícia recebe segunda denúncia de notas falsas de R$ 200 em Pernambuco

O homem de 60 anos foi vítima do golpe após vender equipamentos pela internet; saiba como perceber se as cédulas são verdadeiras

NOTAS FALSAS
Polícia recebe segunda denúncia de notas falsas de R$ 200 em Pernambuco

O chefe de comunicação da PF alertou que é preciso prestar atenção à textura da nota. A cédula é lisa e o papel é de um tipo que os falsários não conseguem imitar. - Foto: Raphael Ribeiro/BCB

Um administrador de 60 anos procurou a Polícia Federal nesta quarta-feira (14) para relatar que teria levado um golpe. O homem colocou refletores a venda na internet e recebeu a visita de um casal que realizou o pagamento com oito notas de R$ 200. Somente depois o vendedor percebeu que as notas eram falsas. O caso aconteceu na cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife. Essa foi a segunda apreensão de notas falsas da nova cédula de R$ 200 realizada pela Polícia Federal em Pernambuco.

A primeira foi no dia 2 de outubro, no município de Carpina, na Zona da Mata. Quando uma mulher tentou comprar equipamentos de som e o comerciante denunciou à Polícia Militar, que entrou em contato com a Polícia Federal e então a suspeita foi presa.

Ela foi para audiência de custódia e conseguiu ser liberada em seguida, mas mesmo assim, a PF continuou de olho em outros casos.

Denúncia

O chefe de comunicação da Polícia Federal no Estado, Giovani Santoro, falou como o administrador que fez a denúncia chegou até a polícia.

“Esse empresário, administrador, estava fechando as atividades em visto até do falecimento de sua esposa, vendendo 11 refletores de 400 watts. Colocou na internet esse anúncio, uma mulher se apresentou como compradora, foi até a casa dele com outro suspeito e pagou R$ 1,6 mil em notas de R$ 200. Quando ele descobriu que as notas eram falsas as trouxe aqui para a Polícia Federal”, disse.

Segundo Giovani, as notas falsas foram apreendidas pela PF e será iniciada uma investigação sobre o caso.

“Houve a apreensão das cédulas e o homem foi ouvido em termos de declarações. Agora iremos iniciar uma declaração tentando identificar, localizar e prender esses suspeitos”, contou.

Momentos depois que os suspeitos receberam o equipamento e realizaram o pagamento, o administrador percebeu que as notas não eram verdadeiras. Isso foi perceptível porque as numerações no papel eram repetidas.

A venda ocorreu no dia 2 de outubro, mas o homem só realizou a denúncia nesta quarta (14).

“Ele, depois que pegou informações de como deveria proceder, soube que era para ir na Polícia Federal entregar as notas”, explicou Giovani.

O chefe de comunicação da PF no Estado reforçou que quem for vítima de um golpe desse tipo deve se dirigir sempre à Polícia Federal. “Nós sempre avisamos às pessoas para que compareçam à PF se forem vítimas. Aqui, as pessoas não irão sofrer nenhuma sanção porque elas são vítimas. Precisamos dessas informações para realizar um mapeamento de onde esses criminosos estão.”

Cuidados para não receber um golpe

Giovani Santoro listou que se deve ter atenção especial para que as pessoas não sejam enganadas por notas falsas.

“A primeira coisa é que o comerciante não deve ter pressa no atendimento, porque quando ele quer atender o maior número de clientes, às vezes passa despercebido os ítens de segurança e cai em golpes com falsários. Também falamos ao vendedor para eles tomarem cuidado, não terem pressa, pois se ele receber uma nota falsa, o patrão vai querer descontar dele no final do mês”, disse.

O chefe de comunicação da PF alertou que é preciso prestar atenção à textura da nota. A cédula é lisa e o papel é de um tipo que os falsários não conseguem imitar.

“Outra dica é olhar bem a impressão da nota. Na falsa, as cores não estão vivas e grandes como são na verdadeira. Sempre também dar atenção à numeração, recendendo mais de uma nota com numeração repetida com certeza elas são falsas”, explicou.

Ele ainda reforçou que é preciso sempre olhar a marca d’água das cédulas. Giovani também falou sobre um aplicativo chamado de “Dinheiro Brasileiro”. “O aplicativo, feito pelo Banco Central, não irá dizer se a nota é falsa ou verdadeira, mas dizer onde estão todos os ítens de segurança, inclusive já dessa nota de R$ 200.”

Ouça a reportagem de Mônica Ermírio:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.