Saúde

Conheça os malefícios da privação do sono e saiba como dormir melhor


Neurocientista explica estudos que relacionam problemas na hora de dormir com doenças como Alzheimer e Parkinson

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 15/10/2020 às 9:30
Claudio Scott/Pixabay
FOTO: Claudio Scott/Pixabay
Leitura:

Em entrevista ao Passando a Limpo nesta quinta-feira (15), o médico neurocientista Paulo Brayner falou sobre estudos recentes da medicina que apontam uma relação entre quem não dorme bem e doenças neurológicas.

“As consequências da privação do sono parecem refletir em todas as áreas da convivência humana, inclusive na evolução de doenças neurodegenerativas, como as demências, principalmente a Demência de Alzheimer e também a Doença de Parkinson”, afirmou o médico.

Segundo ele, o sono tem sido bastante estudado pela medicina, o que reflete em respostas sobre a questão. “Nós estamos, hoje, com os conhecimentos perfeitos da localização das lesões causadas quando a pessoa deixa de dormir”, disse Brayner.

Leia também: Qualidade do sono pode ajudar no combate ao coronavírus

“Existe uma dúvida, também estudada, se a pessoa tem problemas para dormir já pelo começo dos primeiros sinais de uma doença como Alzheimer ou de Parkinson. Existe um grupo de pessoas em que essa dificuldade para dormir, apneia do sono, movimentos excessivos das pernas, sonambulismo, se tornam, para alguns estudos, como o primeiro sinal das doenças. De todo caso, não dormir faz mal”, alerta o especialista.

O médico falou ainda das diferenças entre pessoas que dormem pouco por dia, em média quatro horas, e outras que precisam dormir mais de oito horas para se sentir bem.

Como dormir bem

Paulo Brayner alerta que o corpo dá alguns sinais de que está com dificuldades do sono e que a ajuda médica é crucial para solucionar problemas.

"A gente está mostrando que dormir é importante, não é opcional. Nada no painel cerebral tem essa opção. Então, se eu estou acordando à noite assustado, se estou com muita dificuldade de acordar de manhã, o despertador tem que tocar 10 vezes, se durante o dia eu vivo sonolento, de dormir no sinal de trânsito, estou no ônibus e perco três paradas porque cochilo no banco... se você tem isso, procure um clínico, um médico, converse com ele."

Ouça a entrevista na íntegra:


Mais Lidas