Com plano do governo ousado, Ramos (PTB) diz que governos do PSB em Paulista foram uma tragédia

Candidato aposta no combate à corrupção e fim de cargos comissionados para a gestão da cidade do Paulista, caso seja eleito

ELEIÇÕES 2020
Com plano do governo ousado, Ramos (PTB) diz que governos do PSB em Paulista foram uma tragédia

Ramos (PTB) tenta chegar à Prefeitura do Paulista pela terceira vez consecutiva - Foto: Lucas Rocha/Rádio Jornal

Ao ser questionado durante sabatina na Rádio Jornal nesta sexta-feira (16) sobre a extensão do seu plano de governo, o candidato à Prefeitura do Paulista, Severino Ramos de Santana, de 72 anos, conhecido como Ramos (PTB), afirma que as suas propostas estão alinhadas com sucateamento da cidade. “Nós fizemos um programa de governo extenso porque a Paulista, na verdade, ela está sucateada há muito tempo politicamente. É uma tragédia Paulista nesses últimos 16 anos do Governo PSB. Então, nós fizemos um plano de governo ousado, para que a gente possa colocar na prática. É coisa simples. Está extenso, mas é coisa simples”, disse.

Segurança

Tentando pela terceira vez consecutiva chegar ao gabinete municipal da Prefeitura do Paulista, o candidato acredita que faltam incentivos aos militares para que a segurança no município seja melhorada. "Dar incentivos aos militares. Dar um melhor local para que os militares possam viver", explicou.

Cargos comissionados

Quatro vezes candidato a deputado estadual, Ramos foi eleito vereador pelo Recife em 2004 pelo PMN. Ele afirma que acabar com os cargos comissionados é um pontos principais para governar na cidade, gerando assim novos recursos. “Nós vamos enxugar a máquina. Em primeiro lugar, vamos enxugar a máquina. Porque tem muito apadrinhamento político", afirmou.

Educação

Ramos afirma que irá estudar as maneiras para colocar em prática as inúmeras propostas que tem para a educação do município, que segundo ele, está sucateada. "Escola pública está lá, sucateada. Não há incentivo de o jovem ir para a escola, porque a cadeira não existe (...) Nós temos que incentivar o professor, que está muito maltratado. (...) Isso não é mágica. Isso não vai se fazer do dia para a noite", comentou o candidato.

Oposição ao Governo Estadual

O candidato afirma que a relação de oposição do PTB ao governador Paulo Câmara (PSB), é uma questão exclusivamente partidária. “Nós não vamos ter problemas de coloração política para ir buscar melhorias para o nosso povo. A questão de ser oposição ou não, isso é questão política, partidária. Mas, eu vou representar, se lá chegar, o nosso povo. Então eu vou buscar, vou no Palácio do Governo. O Governo vai dizer não? Se disser não, tudo bem. Tem problema nenhum. A gente vai para outras fontes federais, complementou.

Confira a sabatina na íntegra: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.