Matriz de São José, no Centro do Recife, se prepara para reabrir após sete anos

A igreja estava abandonada desde 2013, quando uma parte do telhado caiu por causa de uma infestação de cupins no local

REFORMA
Matriz de São José, no Centro do Recife, se prepara para reabrir após sete anos

Fundada no ano de 1844, a matriz estava interditada desde 2013. - Foto: Felipe Ribeiro/Jc Imagem

Cartão postal do Recife, a Matriz de José, no Centro do Recife, está em obras após passar sete anos fechada aos fiéis. O templo secular, de estilo neoclássico, fica localizado na Rua Vidal de Negreiros, no bairro de São José. O arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, visitou a igreja juntamente com uma equipe da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) para conferir os detalhes do projeto na manhã desta quinta-feira (29).

Fundada no ano de 1844, a matriz estava interditada desde 2013, quando parte do telhado desabou devido a uma infestação de cupins. No período em que esteve fechada, a construção foi se deteriorando. Quem passa pelas imediações consegue perceber que árvores estão crescendo nas paredes, que o reboco da fachada está caindo e que infiltrações estão tomando conta da igreja.

Importância

O arcebispo Dom Fernando Saburido falou da importância histórica da Matriz de São José.

“A igreja tem um valor assim muito grande, muito querida da população do bairro de São José e todos estavam sofrendo muito com a situação de abandono que ela se encontrava. Agora uma esperança que daqui a dois meses possamos voltar a fazer uso dela”, celebrou.

Dom Fernando ainda contou sobre a representação da igreja para os católicos recifenses.“Representa muito porque é uma das nossas 145 paróquias. Uma das mais tradicionais e mais antigas que sempre teve um papel importante aqui no centro da cidade do Recife. E agora com essas construções que estão acontecendo em torno da igreja, ela vai ter vida nova. Temos esperança que ela volte a ter a vitalidade que tinha no passado”, disse.

Reformas

As reformas, que começaram há uma semana, estão sob responsabilidade do consórcio Recife. As obras de recuperação do templo, tombado em julho de 2017 pelo governo do estado, incluem serviços no telhado, forro, piso e na parte elétrica do templo.

Ouça a reportagem de Airton Vasconcelos:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.