animais

Sexta-feira Treze: preconceito deixa gatos pretos em perigo


Sexta-feira Treze reacende mito e que os gatos pretos dão azar

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 13/11/2020 às 15:56
Reprodução/ Internet
FOTO: Reprodução/ Internet
Leitura:

A Sexta-feira Treze, infelizmente, pode ser sinônimo de perigo para os gatos pretos. Muitas vezes eles são perseguidos e associados a azar. Na verdade, os amantes de felinos sabem que gatos são super companheiros e não dispensam uma troca de carinho. E por que com gato preto seria diferente?

>> Adoção e abandono de animais domésticos aumentam durante a pandemia

>> Bolsonaro sanciona lei que cria Dia Nacional do Rodeio no Dia Mundial dos Animais

>> Dinamarca anuncia que vai matar 17 milhões de animais para evitar mutação do coronavírus

>> Entretenimento com animais silvestres traz riscos à saúde, diz ONG

A superstição teve origem na Idade Média, quando se acreditava que os felinos, por causa dos hábitos noturnos, tinham pacto com o diabo. E se o gato fosse da cor preta era associado às trevas. Mesmo agora, em pleno século 21, em datas como a Sexta-feira Treze as agressões ainda são um risco para esses animais.

A defensora dos animais Ana Lélis contou que os gatos pretos também costumam ser menos adotados. Apesar de diversos mitos rodearem os felinos, a verdade é que eles têm muito amor para oferecer. A melhor forma de proteger é conscientizar a população e enfatizar que maus tratos a animais é crime. “O animal é um ser que só quer atenção e merece todo respeito do mundo”, comentou.

Lei garante proteção

No dia 29 de setembro de 2020, foi criada a lei 14.964/20, que eleva para dois a cinco anos de prisão a pessoa que maltratar um animal.

As denúncias de maus tratos podem ser feitas em qualquer delegacia e na de Meio Ambiente, através do número 3184-7900.


Mais Lidas