ELEIÇÕES 2020

Marido de Sarí Corte Real, Sérgio Hacker perde reeleição em Tamandaré


Sérgio Hacker (PSB) ficou em segundo lugar com 43,12% dos votos

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 16/11/2020 às 13:34
Reprodução/Facebook
FOTO: Reprodução/Facebook
Leitura:

O prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB), não conseguiu se reeleger nas eleições municipais 2020. Hacker é marido de Sarí Corte Real, indiciada por abandono de incapaz com resultado morte do menino Miguel Otávio, de 5 anos. Carrapicho (Republicanos) venceu a eleição, com 54,52% dos votos, seguido do prefeito, com 43,12%.

Miguel era filou da empregada doméstica do casal e morreu após cair do nono andar do edifício de luxo onde o casal mantém residência, no Centro do Recife. A criança estava à procura da mãe, que estava passeando com o cachorro da família. Sarí deixou que a criança entrasse sozinha em um elevador em busca da mãe.

>> Investigado por contratação irregular da mãe do menino Miguel, Sérgio Hacker vai disputar reeleição em Tamandaré

>> Câmara de Tamandaré arquiva denúncia de improbidade administrativa contra prefeito Sérgio Hacker

>> TCE investiga diárias pagas a Sérgio Hacker, marido de Sarí Corte Real

>> Prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker se diz 'perplexo' com operação da polícia

Veja resultado em Tamandaré:

  • Carrapicho (Republicanos): 54,52% (7.476 votos)
  • Sergio Hacker (PSB): 43,12% (5.912 votos)
  • Paulo Guimarães (PC do B): 1,84% (252 votos)
  • Bebeto O Pioneiro (PDT): 0,53% (72 votos)

Durante as investigações do caso Miguel, também foi descoberto que Mirtes Renata Santana de Souza, mãe do garoto Miguel Otávio Santana da Silva, 5 anos, constava como funcionária da Prefeitura Municipal de Tamandaré. A informação foi divulgada pelo Jornal do Commercio, no dia 4 de junho. Esse dado está registrado no cadastro da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), órgão ligado ao Ministério da Economia, em que aparece como data de admissão da funcionária o dia 1º de fevereiro de 2017. Não há registro de data de desligamento.

Caso Miguel

Miguel Otávio morreu na tarde de 02 de junho deste ano, depois de subir sozinho no elevador e cair do nono andar do Edifício Píer Maurício de Nassau, no bairro de São José, área central do Recife. Na ocasião, Sarí era a responsável pela vigilância do menino, enquanto a mãe dele passeava com o cachorro da patroa.

A perícia realizada pelo Instituto de Criminalística no edifício constatou que Sarí apertou o botão da cobertura, antes de deixar a criança sozinha no elevador. Ao sair do equipamento, o menino passa por uma porta corta-fogo, que dá acesso a um corredor. No local, ele escala uma janela de 1,20 m de altura e chega a uma área onde ficam os condensadores de ar. É desse local que Miguel cai, de uma altura de 35 metros.

Sarí Corte Real, ex-patroa da mãe de Miguel, é esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio hacker (PSB). Na época do caso, Mirtes e a avó de Miguel trabalhavam na casa do prefeito, mas recebiam como funcionárias da prefeitura. A informação foi revelada pelo Jornal do Commercio.

Após a denúncia, MPPE instaurou uma investigação, descobriu que outra empregada doméstica da família também era funcionária fantasma da prefeitura, e a Justiça determinou o bloqueio parcial dos bens de Hacker. O MPPE descobriu ainda que a mãe e a avó de Miguel ganhavam até gratificação por produtividade, mesmo sem trabalharem na prefeitura, como revelou um documento obtido pela coluna Ronda JC. A assessoria do MPPE disse que o caso segue sob investigação e que os promotores responsáveis por enquanto não vão comentar o processo.


Mais Lidas