Presidente do Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco explica como será a greve da categoria na próxima terça (24)

A greve foi confirmada nesta terça-feira (17) e está prevista para ocorrer na Região Metropolitana do Recife

GREVE
Presidente do Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco explica como será a greve da categoria na próxima terça (24)

De acordo com o sindicato, a manutenção de 30% da frota exigida por lei também será respeitada. - Foto: Felipe Ribero/JC Imagem

A partir da 0h da próxima terça feira (24) irá ter início mais uma greve dos rodoviários de Pernambuco. A decisão foi aprovada em assembleia de dois turnos realizada nesta terça-feira (17). A manifestação principal agora é para que a lei 8.761/2020, que proíbe a dupla função seja colocada em prática.

A data do início da greve foi definida respeitando o prazo legal de 72 horas para comunicar os responsáveis pelo setor de transporte. De acordo com o sindicato, a manutenção de 30% da frota exigida por lei também será respeitada.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários de PE, Aldo Lima, falou como será realizada a greve na prática.

“Iremos cumprir todos os requisitos legais. Aquilo que tiver previsão legal, o Sindicato vai cumprir. Se a lei determina que deve ter 30% da frota, vai ser cumprido. Se a lei determina que tem ser comunicado 72 horas, tanto às empresas, quanto à sociedade, os órgãos competentes, será cumprido. Todos os requisitos legais para esse greve vão estar sendo cumpridos”, afirmou.

Segundo Aldo haverão sim ônibus circulando pelas ruas na próxima terça (24). “Um percentual de ônibus estabelecido por lei estarão nas ruas. O que estiver na lei nós vamos cumprir. No entanto, a categoria está em greve ciente que os trabalhadores estão muito mobilizados para esse movimento paredista, diante de tantas situações ocorridas na categoria. Como o não avanço das negociações, retirada dos cobradores e etc”, disse.

Dupla função

Uma das principais pautas da greve é o cumprimento da Lei 18.761/2020. Entre setembro e outubro deste ano, os rodoviários fizeram quatro paralisações até que o projeto de lei 05/2019, que proíbe a dupla função dos motoristas fosse aprovado na câmara dos vereadores no dia 27 de outubro. Ele foi sancionado pelo prefeito Geraldo Júlio, três dias depois.

“Há uma lei no município de Recife que proibi a dupla função. O que acontece na prática é que os empresários ao invés de se readequarem a lei, eles continuam tirando os cobradores dos seus postos de trabalho e adotando a dupla função, obrigando os motoristas a dirigir e cobrar”, explicou.

Outras Reivindicações

De acordo com Aldo outra das reivindicações pautadas nesta greve será as demissões da categoria. “Queremos que eles parem de demitir, estão demitindo trabalhadores todos os dias. Obrigando os motoristas a exercer a dupla função. Queremos que sejam cessadas essas demissões, com estabilidade de um ano de emprego para esses trabalhadores”, informou.

Ouça a reportagem de Leonardo Vasconcelos:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.