Covid-19: Pernambuco vai reabrir mais 70 leitos para pacientes

Nas últimas semanas, Pernambuco já tinha feito o desbloqueio de 107 leitos de UTI e enfermaria destinados a pacientes da covid-19

PANDEMIA
Covid-19: Pernambuco vai reabrir mais 70 leitos para pacientes

As gestões desses equipamentos estão organizando os espaços - Foto: Divulgação PCR / Andrea Rego Barros

O Governo de Pernambuco anunciou que vai reabrir mais 70 leitos dedicados a pacientes com suspeita ou confirmação da covid-19 nos próximos dez dias. Do total, 20 leitos são de terapia intensiva (UTI) e 50 de enfermaria. As vagas serão disponibilizadas nos Hospitais de Referência à Covid-19 - unidade Boa Viagem (10 de UTI e 10 de enfermaria) e outras 50 na unidade Olinda (40 de enfermaria e 10 de UTI). No momento, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), as gestões desses equipamentos estão organizando os espaços, montando maquinário e convocando as equipes multiprofissionais.

Em coletiva realizada, nesta quinta-feira (26), o secretário estadual de Saúde, André Longo, disse que a taxa de ocupação de leitos de UTI atingiu 80%. "Em relação à ocupação das vagas dedicadas aos pacientes com suspeita para a doença, ontem e hoje, a taxa das UTIs atingiu 80% de ocupação. Isso foi motivado pela retirada do sistema de regulação dos leitos do Hospital de Campanha de Petrolina. Mas, como já tinha dito em outros momentos, o nosso Plano de Contingência prevê o desbloqueio e reconversão de leitos, caso o percentual de 80% seja alcançado de forma sustentada", disse. 

André Longo ainda informou que o governo está monitorando a situação no Sertão de Pernambuco. "Especificamente em Petrolina, estamos avaliando o cenário e, caso necessário, iremos abrir leitos para garantir o atendimento na região", ressaltou.

Reabertura de leitos teve início semanas atrás 

Pernambuco já tinha feito o desbloqueio de 107 leitos, sendo 50 de UTI e 57 de enfermaria, nos hospitais Maria Vitória, no bairro de Areias; Evangélico, na Torre; e no Antigo Alfa, em Boa Viagem, todos no Recife. O movimento ocorreu nas últimas semanas. O governo reforça que, ao longo dos últimos meses, com a redução da demanda e para evitar a ociosidade nas vagas da rede pública, mais de 1,5 mil leitos foram bloqueados em Pernambuco. Essas readequações, segundo a SES, foram feitas respeitando um nível de segurança e preservando a assistência integral à saúde da população pernambucana.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.