Eleições 2020

Cientista político comenta os erros das pesquisas de intenção de voto nas eleições 2020


Antonio Lavareda participou do Passando a Limpo desta segunda-feira (1º)

Carol Coimbra
Carol Coimbra
Publicado em 01/12/2020 às 11:10
Reprodução/Rádio Jornal
FOTO: Reprodução/Rádio Jornal
Leitura:

Em entrevista ao Passando a Limpo desta terça-feira (1º), o cientista político Antonio Lavareda comentou as diferenças na porcentagem apontadas nas pesquisas de intenção de voto e os resultados das urnas nas eleições 2020. Houve diferenças grandes em Porto Alegre e no Recife, por exemplo.

“No caso do Recife, por exemplo, você tem todas as pesquisas da última semana com resultados sobre um eleitorado que compreende 14% de votos brancos e nulos, esse total foi menor, foi de 10%, mas apenas 2% de não sabiam, ou seja, de uma provável abstenção, que foi de 21%. E é importante então nós entendermos de onde saiu a abstenção.”

Lavareda disse que o resultado discrepante das pesquisas e o que saiu das urnas não o surpreendeu. “Eu já havia alertado sobre o papel decisivo da abstenção, e mais, da alienação, que é o acréscimo de brancos e nulos para resolver aquela disputa acirrada que estava na base 42 pontos. Outro desvio de percepção que ocorre devido à aparência dos votos válidos disse por exemplo que a candidata Marília teve um desempenho surpreendente, embora não tenha atingido os percentuais que as pesquisas apontavam, ela teve um desempenho melhor do que o de João Paulo quatro anos atrás, então o PT teria crescido de alguma forma mesmo perdendo eleição no Recife. Nós temos sempre que comparar os totais porque os votos válidos discrepam muito em função da margem de comparecimento, aumentou o comparecimento ou branco e nulo os votos válidos discrepam em demasia.”, disse.

Lavareda ainda falou sobre a situação de “erro” das quatro empresas. Segundo ele não se deve acreditar que foi algo proposital.

“O melhor que nós fazemos é tentar entender que não é possível que tenha havido uma conspiração geral dos institutos como dizem alguns terraplanistas para prejudicar determinados partidos e determinados campos políticos. É impossível que quatro institutos tenham falhado simultaneamente em um estudo tão amplo. É melhor entender o seguinte, e essa é a conclusão importante, o voto se tornou de fato facultativo foi impossível comparar no Brasil o cotejo sob os votos totais, é impossível ser feito com expectativa de rebatimento”, falou.

Confira a entrevista na íntegra:


Mais Lidas