ELEIÇÕES

Jair Bolsonaro reconhece vitória de Joe Biden, presidente dos EUA


Entre os países que integram o G20, o Brasil era o único que ainda não havia reconhecido o resultado da eleição dos EUA com a vitória de Joe Biden

Com informações da Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil
Publicado em 15/12/2020 às 17:28
Marcelo Camargo/Agência Brasil
FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reconheceu, nesta terça-feira (15), a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais dos Estados Unidos. O brasileiro mandou um recado para o postulante à Casa Branca e disse esperar que "os EUA sigam sendo 'a terra dos livres e o lar dos corajosos'".

O comunicado ocorre um dia depois da votação do Colégio Eleitoral que confirmou a eleição de Joe Biden como o 46º presidente norte-americano, e cinco semanas após o encerramento das eleições.

A mensagem foi publicada pelo Ministério das Relações Exteriores e reproduzida nas redes sociais do presidente brasileiro. Veja o comunicado:

O Presidente Jair Bolsonaro transmite a seguinte mensagem ao Presidente-Eleito Joe Biden após o anúncio dos resultados da votação no Colégio Eleitoral dos EUA:

- Saudações ao Presidente Joe Biden, com meus melhores votos e a esperança de que os EUA sigam sendo “a terra dos livres e o lar dos corajosos".

- Estarei pronto a trabalhar com V. Exa. e dar continuidade à construção de uma aliança Brasil-EUA, na defesa da soberania, da democracia e da liberdade em todo o mundo, assim como na integração econômico-comercial em benefício dos nossos povos.

Veja postagem feita no Twitter:

 

Entre os países que integram o G20, o Brasil era o único que ainda não havia reconhecido o resultado da eleição dos EUA. A maior parte se pronunciou já no dia 7 de novembro, quando Biden foi declarado vencedor pelas projeções da imprensa norte-americana.

Vitória do democrata

O Colégio Eleitoral dos Estados Unidos confirmou, nesta segunda-feira (14), a vitória do democrata Joe Biden na eleição presidencial deste ano.

Na Califórnia, estado mais populoso dos EUA, foram entregues 55 delegados a Biden, colocando oficialmente o ex-vice-presidente acima dos 270 votos necessários para garantir a Casa Branca.

Com base nos resultados da votação de novembro, Biden obteve 306 votos do Colégio Eleitoral contra 232 do republicano Donald Trump. Biden e sua companheira de chapa, Kamala Harris, tomam posse no dia 20 de janeiro.

Com a votação sem surpresas no Colégio Eleitoral as esperanças do atual presidente de se manter no poder irão se concentrar em uma reunião especial do Congresso no dia 6 de janeiro, mas as chances a favor dele são praticamente nulas.

Biden será a pessoa mais velha a se tornar presidente dos Estados Unidos, aos 78 anos.

Mais cedo, os membros do Colégio Eleitoral da Geórgia, Pensilvânia e Wisconsin votaram em Biden, assim como eleitores do colegiado no Arizona.

Sistema Eleitoral

Sob um sistema que opera desde 1780, um candidato se torna presidente dos Estados Unidos não por conquistar a maioria do voto popular, mas pelo sistema do Colégio Eleitoral, que distribui os votos eleitorais para os 50 Estados e para o Distrito de Columbia baseando-se em grande parte na população de cada unidade federativa.

Os eleitores são tipicamente membros de partidos que representam o candidato vencedor em cada estado, com a exceção do Maine e de Nebraska, que distribuem os votos do Colégio Eleitoral ao candidato presidencial que venceu em cada um dos distritos do Estado.

Embora por vezes alguns membros "dissidentes" votem em um candidato diferente do vencedor do voto popular em seus estados, a vasta maioria deles apenas confirma os resultados, o que também ocorreu nesta segunda-feira (14).


Mais Lidas