Covid-19

Confira o novo boletim médico de Genival Lacerda


Genival Lacerda foi internado em um hospital do Recife, após ser diagnosticado com covid-19

Karina Costa Albuquerque Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Publicado em 20/12/2020 às 17:33
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

O cantor e compositor paraibano Genival Lacerda, de 89 anos, segue internado em um hospital particular no Recife, após testar positivo para a covid-19.

Segundo o boletim médico mais recente, a situação do artista continua grave, com pneumonia severa e sem melhoras. O cantor segue em tratamento para combater a covid-19 (novo coronavírus).

Genival Lacerda é autor de músicas como "De quem é esse jegue?" e "Severina Xique-Xique".

Boletim

Confira, na íntegra, o boletim médico de Genival Lacerda:

Cantor Genival Lacerda segue internado em hospital no Recife.
O quadro de saúde do artista continua grave, com pneumonia severa, ainda sem apresentar melhoras. A pressão arterial está controlada e os rins funcionando bem. Cantor de 89 anos de idade deu entrada no hospital com sintomas da COVID, onde encontra-se em tratamento para combater a doença.

>> "Comunicamos a todos que o quadro de Genival piorou", informa novo boletim

>> Filho de Genival Lacerda fala sobre estado de saúde do pai: "Estado gravíssimo"

>> Genival Lacerda apresenta piora e é diagnosticado com pneumonia, informa boletim

AVC

Este ano, o cantor já esteve internado, no mês de maio, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Genival Lacerda passou três dias internado, no Hospital D'Ávila, na Zona Oeste do Recife.

Na época, a unidade hospitalar informou que o cantor e compositor evoluiu, durante o internamento, com "estabilidade clínica e neurológica".

>> Genival Lacerda 'abre os olhos, tem taxas normais e não apresenta febre', informa nota

>> Genival Lacerda segue internado, mas 'reage bem ao tratamento'

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Mais Lidas