Pandemia da Covid-19

Bolsonaro sugere festas de fim de ano; Especialista critica declaração


De acordo com Bolsonaro, não há problemas em festas de final de ano. Médico da Fiocruz diz que encontros são arriscados.

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 21/12/2020 às 8:15
Marcelo Camargo/Agência Brasil
FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

Na semana em que o Brasil voltou a atingir o patamar de mil mortes registradas em apenas um dia em função da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro disse que os brasileiros podem se reunir, sem problemas, com a família nas festas de Natal e Ano Novo. A afirmação de Bolsonaro colide frontalmente com o que especialistas em saúde orientam. De acordo com os cientistas e médicos, as pessoas devem evitar confraternização com pessoas de fora do próprio núcleo familiar.

A declaração de Bolsonaro foi dada em entrevista em uma rede social ao filho Eduardo Bolsonaro, que é deputado federal pelo PSL. “Pode, qual é o problema?”, respondeu o presidente após ser perguntado pelo filho. O problema, segundo os especialistas no assunto, é que os números da Covid-19 voltaram a subir e a previsão é que, sem isolamento social neste final de ano, o mês de janeiro de 2021 tenha um agravamento na pandemia no país.

Segundo o médico da Fiocruz de Brasília Claudio Maierovitch, essas reuniões geram grande risco de contaminação pelo novo coronavírus. “Praticamente, em todos os países da Europa, os líderes que estão olhando para a ciência, têm orientado uma restrição bastante rígida nas comemorações de Natal. Nós temos todas as razões para temer que, aqui no Brasil, nós tenhamos um mês de janeiro tenebroso”, disse. “As informações são confusas e muita gente tende a seguir seu desejo de estar com seus entes próximos, de comemorar, essa é a pior coisa que podemos fazer neste momento”, afirmou o cientista.

Médicos tiram dúvidas sobre o novo coronavírus:

Aumento de casos

“Nós temos enfrentando um aumento consistente de casos em todo o mundo e o Brasil está indo no mesmo caminho, sem que tenhamos conseguido, antes, baixar de maneira significativa a transmissão. Este deveria ser o momento da maior preocupação”, concluiu médico da Fiocruz.

Pernambuco

No domingo (20), a secretaria de Saúde de Pernambuco confirmou mais 418 novos casos da Covid-19. Agora, o Estado já totaliza 207.426 casos e 9.435 mortes. 17 óbitos foram confirmados no domingo.


Mais Lidas