Pandemia do novo coronavírus

Feliz por anúncio de eficácia da vacina do Butantan, epidemiologista critica falta de estratégia do governo federal na compra de seringas e agulhas


Para Ethel Maciel, governo federal deveria ter começado processo de compra de agulhas e seringas há mais tempo

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 08/01/2021 às 12:28
Reprodução/Facebook
FOTO: Reprodução/Facebook
Leitura:

A epidemiologista Ethel Maciel criticou a logística do governo brasileiro na compra de agulhas e seringas para a campanha de vacinação contra a covid-19. Nos últimos dias, cresceram as informações sobre dificuldade de compra e aumento do valor dos produtos.

“Infelizmente, é uma vergonha para um país como o nosso que tem uma tradição enorme em campanha de vacinação. Nós sabemos fazer isso. Uma vergonha essa falta de planejamento do governo”, disse a pesquisadora em entrevista ao Passando a Limpo da Rádio Jornal nesta sexta-feira (8).

Ethel lembrou que o próprio governo federal assinou acordo para produção da vacina com a Fiocruz em julho de 2020. “Então, o governo já sabia que teria as vacinas e ele sabia que a vacina é intramuscular. E ele não se preparou. Iniciou a compra agora em dezembro quando, é claro, todo mundo também está atrás do mesmo produto”. “É natural da lei da oferta e demanda, se está todo mundo procurando, há uma escassez no mercado e o preço vai aumentar. Então, não tem outra alternativa, vamos ter de comprar”, disse.

Para a pesquisadora, a sorte é que há estoque de seringas e agulhas nos Estados. “Felizmente, alguns estados foram organizados e compraram seringas. Nós temos uma reserva”, disse.

Confira a entrevista na íntegra:


Mais Lidas