Pandemia do novo coronavírus

Vacina aplicada em Pernambuco é, sim, segura para pessoas acima de 65 anos, defende médica da UFPE

De acordo com a professora sanitarista da UFPE, Bernadete Perez, Fiocruz já esclareceu que vacina de Oxford, que está sendo aplicada em idosos a partir de 85 anos, é segura

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 29/01/2021 às 11:43
Reuters/Dado Ruvic
FOTO: Reuters/Dado Ruvic
Leitura:

A médica sanitarista da Universidade Federal de Pernambuco, Bernadete Pérez, defendeu o uso da vacina de Oxford em idosos. A vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca é a fórmula que, atualmente, é aplicada em idosos com idades a partir de 85 anos em Pernambuco. O debate surgiu após a Alemanha recomendar que a fórmula não fosse aplicada em idosos com mais de 65 anos.

Em entrevista ao Passando a Limpo, da Rádio Jornal, na manhã desta sexta-feira (29), Bernadete explicou que a vacina é segura. “A Fiocruz [Fundação Oswaldo Cruz] já informou que de fato essa vacina não tem problema de segurança, não é contra-indicada para nenhuma faixa etária, ela tem segurança”, disse a especialista. “O que a gente tem de alertar é que os estudos acima de 65 anos precisam ser mais robustos para entender a eficácia da vacina. O quanto ela protege para essa faixa etária, isso é que de fato tem poucos dados. Estatisticamente não foram relevantes nos estudos de fase três”, esclareceu Pérez.

Confira entrevista na íntegra:


Alemanha

Na Alemanha, a comissão de vacinação afirmou que a recomendação era de que a vacina de Oxford fosse utiliza em pessoas com idades entre 18 e 65 anos. De acordo com a comissão, não se tem certeza sobre a eficácia da vacina em pessoas com mais idade.

Imediatamente, a AstraZeneca respondeu defendendo o uso da vacina em idosos. “As últimas análises se baseiam na hipótese de uma eficácia da vacina no grupo de mais de 65 anos", disse um porta-voz a AstraZeneca.

Mais Lidas