Washington

Em Washington, jornalista pernambucana explica como fica a relação entre o Brasil e os EUA na gestão de Joe Biden


Joe Biden assumiu a presidência dos EUA há poucos dias e já começa a fazer mudanças na estrutura deixada por Donald Trump

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 02/02/2021 às 10:02
AFP
FOTO: AFP
Leitura:

Direto da capital dos Estados Unidos, Washington, a jornalista pernambucana Fabíola Góis explicou aos ouvintes da Rádio Jornal na manhã desta terça-feira (2) como está o clima no país duas semanas após a posse do novo presidente democrata Joe Biden. No Passando a Limpo, Fabíola falou sobre o ex-presidente Donald Trump e também sobre a relação do Brasil com os EUA.

Trump

Questionada se Trump seguia aparecendo nos noticiários americanos, Fabíola disse que “muito sutilmente” e lembrou que o ex-presidente se prepara para enfrentar um processo de impeachment que começa nos próximos dias. “Ele não está diretamente na paisagem nem dos noticiários como antigamente, mas ele está com a corda no pescoço por conta do processo de Impeachment. Ele está se preparando para o processo no Senado. No final de semana, cinco advogados que ele havia contratado abandonaram o barco e ele teve de contratar outros dois. O processo começa no dia 8. O clima para ele não é muito favorável, mas as especulações dão conta de que ele pode se livrar porque o quorum é qualificado, então, não se sabe se ele vai ser impeachmado”, explicou.

Para o processo contra Donald Trump seguir, 17 senadores do partido dele precisariam votar contra o ex-presidente. Apesar de não haver grandes certezas, Fabíola adiantou que este é um cenário difícil de se realizar. “Esses 17 votos que são necessários, estão longe da realidade. Já tem senador republicano que está dizendo que vai votar contra Trump, mas existe uma ala que é fechada com Trump, então, provavelmente, não haverá quórum”, afirmou, lembrando que a popularidade do ex-presidente caiu após o bárbaro ataque de militantes trumpistas contra o Capitólio faltando poucos dias para a posse de Biden.

Brasil

Na conversa com jornalistas do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, Fabíola também falou sobre a relação entre o governo de Joe Biden com o do brasileiro Jair Bolsonaro. Em meio à crise de falta de oxigênio para pacientes com covid-19 na cidade de Manaus, o governo brasileiro fracassou nas tratativas com Washington para que aviões americanos transportassem oxigênio para o Brasil. Os EUA querem que o país reembolse o transporte aéreo.

“Parece que não há uma boa vontade de ajudar o Brasil nesse sentido. isso é resultado de uma relação que foi construída de um lado só. O Brasil valorizou muito os Estados Unidos, mas os Estados Unidos não valorizaram o Brasil do mesmo jeito. A gente aguarda que os países dialoguem melhor, mas não apenas no aspecto ideológico”, analisou.

Fabíola também analisou que a vitória de Arthur Lira para presidir a Câmara dos Deputados pelos próximos dois anos demonstra uma força do centrão e representa uma perda para o ex-presidente da casa, Rodrigo Maia. Na entrevista, Fabíola explicou que, devido o fuso horário, ainda aguardava a repercussão nos jornais americanos sobre a vitória de Lira.

Confira entrevista:


Mais Lidas