Pernambuco se aproxima da marca de 270 mil casos confirmados de covid-19

Somente nas últimas 24 horas, Pernambuco registrou mais 1.451 casos de covid-19

PANDEMIA DO NOVO CORONAVíRUS
Pernambuco se aproxima da marca de 270 mil casos confirmados de covid-19

Coronavírus - Foto: Reprodução/NE10 Interior

Com informações da Agência Brasil

Pernambuco registrou neste sábado (6) mais 1.451 casos confirmados de pessoas com covid-19 no Estado. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), 51 desses casos são os mais graves. Eles estão enquadrados como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e inspiram mais cuidados. Com estes novos números, Pernambuco totaliza 269.937 casos da doença. 

Mortes

A Secretaria de Saúde de Pernambuco também confirmou mais 29 óbitos em decorrência de infecção com o Sars-Cov-2 (nome científico do novo coronavírus), causador da Covid-19. 

As mortes confirmadas neste sábado (6) foram registradas entre os dias 17 de agosto do ano passado até a última quinta-feira (4). Com o total de mortes confirmadas até aqui, o Estado tem 10.481 vidas perdidas para a pandemia do novo coronavírus. 

Anvisa recebe pedido de registro definitivo de vacina da Pfizer

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu hoje (6) o pedido de registro definitivo da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com empresa de biotecnologia alemã BioNtech. O imunizante se chama Cominarty.

Agora, a Anvisa tem 60 dias para avaliar toda a documentação. Em nota, a agência esclareceu que “o registro é a avaliação completa com dados mais robustos dos estudos de qualidade, eficácia e segurança, bem como do plano de mitigação dos riscos e da adoção das medidas de monitoramento”.

Na nota deste sábado, a Anvisa destacou ainda que o registro definitivo “é o sinal verde para que a vacina seja comercializada, distribuída e utilizada pela população, nos termos da indicação estabelecida na bula”.

No fim de dezembro, a Pfizer afirmou que não faria pedido para uso emergencial da sua vacina no Brasil e que seguiria o processo de submissão diretamente para um registro definitivo. À época, a empresa disse considerar o procedimento “mais célere”, além de mais amplo.

“O pedido de registro da vacina junto à Anvisa é a etapa final do processo de submissão contínua estabelecido pela agência para acelerar os registros de vacinas contra a covid-19. A companhia continuará trabalhando junto com a Anvisa para que o processo transcorra da melhor maneira possível, sempre pautado por critérios técnicos e científicos”, disse neste sábado (6) Márjori Dulcine, diretora médica da Pfizer Brasil, de acordo com a assessoria de imprensa da farmacêutica.

Segundo a Pfizer, 2,9 mil voluntários participaram dos testes clínicos de sua vacina no Brasil. No mundo todo, foram 44 mil participantes em 150 centros de seis países, incluindo África do Sul, Alemanha, Argentina, Estados Unidos e Turquia. Resultados da terceira e última fase de testes do imunizante, divulgados em novembro, apontaram eficácia de 95% contra o novo coronavírus.

O pedido de registro definitivo é o segundo que a Anvisa recebe para uma vacina contra a covid-19. O primeiro foi feito em 29 de janeiro e é relativo à vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, que já tem autorização para uso emergencial no país. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.