ESPERANÇA

Covid-19: vice-diretor da OPAS comenta qual país deve atingir primeiro 70% da população vacinada

Especialistas consideram que é preciso atingir este número de pessoas vacinadas para controlar a pandemia da covid-19

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 09/02/2021 às 10:47
Marcelo Camargo/Agência Brasil
FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

A Organização Mundial da Saúde (OMS) expressou, nesta segunda-feira (9), preocupação com a possibilidade de as vacinas contra a covid-19 desenvolvidas até o momento não serem eficazes contra variantes do novo coronavírus. O vice-diretor da OPAS/OMS, o médico Jarbas Barbosa, explica que a ampliação da vacinação contra a covid-19 como uma forma de barrar o surgimento de novas variantes do Sars-Cov-2.

“O mundo estaria muito mais protegido se a gente já tivesse mais vacinas disponíveis e as pessoas estivessem mais vacinadas, porque a gente não daria chances para novas variantes aparecerem. As novas variantes só aparecem porque o vírus continua se disseminando”, afirma o médico.

>> Vacinação contra a covid-19: Ex-coordenadora do PNI critica lentidão no Brasil e sugere pré-cadastro

>> O que é IFA? Entenda importância do Insumo Farmacêutico Ativado na produção de vacinas contra covid-19

>> Covid-19: Recife inicia agendamento da 2º dose e amplia público da vacinação

Na África do Sul, pacientes que foram imunizados com a vacina da Astrazeneca/ Oxford desenvolveram a doença. O caso está sendo investigado. “Foi percebido na África do Sul um número muito pequeno de casos de pessoas que tinham sido vacinadas com a vacina da Astrazeneca/ Oxford e que desenvolveram a doença. Isso está sob avaliação, porque nenhuma vacina é 100% eficaz. A comprovação da eficácia é de que você tem menos casos entre os vacinados do que entre os não vacinados. Isso acontece com qualquer vacina. Então, é muito importante tomar a vacina. Esse caso que aconteceu na África do Sul está sob investigação se os anticorpos criados pela vacina não conseguiram proteger a pessoa contra essa nova variante ou se foi o que a gente chama de ‘falha primária’. Ou seja, uma pessoa que tomou a vacina e, que por algum motivo do seu sistema imunológico, ela não desenvolveu anticorpos suficientes”, detalhou o especialista.

País mais perto dos 70%

Especialistas consideram que para garantir uma imunização segura da população e controlar a pandemia da covid-19 é preciso atingir 70% da população vacinada. De acordo com Jarbas Barbosa, Israel deve ser o primeiro país a atingir 70% da população imunizada. “Acho que a gente, muito em breve, vai ter o primeiro país a atingir 70% de cobertura vacinal, que é Israel. Infelizmente Israel é uma exceção a conseguir uma vacinação muito rápida. Mas talvez a gente tenha a comprovação de que depois que passa de 70% da população vacinada a gente consegue interromper a transmissão do vírus”, concluiu.

Segundo dado da Universidade de Oxford, da Bloomberg, e do Consórcio de veículos e divulgados pelo Portal UOL, Israel já vacinou 40% da população. A vacinação contra a covid-19 começou ainda no final de 2020, no país.

Até o momento, no entanto, o Brasil imunizou cerca 3,4 milhões de pessoas, o que corresponde a apenas 1,6% de sua população de cerca de 210 milhões. Os números são do Our World in Data, plataforma da Universidade de Oxford.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Mesmo com o início da vacinação contra a covid-19, é importante manter as medidas. Entre elas estão:

- Usar máscara em ambientes compartilhados

- Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.

- Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

- Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

- Evitar contato próximo com pessoas doentes.

- Ficar em casa quando estiver doente.

- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.

- Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

- Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
- Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Mais Lidas