AÇÃO

Compesa desperdiça metade da água que produz, diz MPPE

A ação foi embasada em reclamações da população e em dados do sistema nacional de informação de saneamento, segundo o qual a Compesa perde 50% da água que produz no Estado.

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 19/02/2021 às 10:44
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Diante de tantas reclamações dos moradores da Região Metropolitana do Recife, por causa do desperdício de água, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) entrou na mira do Ministério Público de Pernambuco.

Desperdício de água

Em 2018, o órgão instaurou uma ação civil publica contra a Compesa, por causa do alto índice de desperdício, com base em dados do sistema nacional de informações de saneamento, que divulgou, em 2019, que a Compesa perdia 50% da água produzida. Esse índice de perda, no Recife, chegava a 57,9%.

>> Mulher é vítima de descarga elétrica ao manusear bomba d'água no Vasco da Gama

Ainda segundo o Ministério Público, as perdas são inadmissíveis, levando em consideração a situação da água no Estado.

A Compesa já foi convidada a assinar um termo de ajustamento de conduta, mas o documento não foi assinado e o caso foi parar na 24º Vara cível da capital. A promotoria do Ministério Público quer que a Compesa seja punida.

>> Moradores perdem tudo, após água da chuva invadir casas em Camaragibe

Denúncias

O Whatsapp da TV Jornal não para de receber tipo denúncias sobre desperdício. Em menos de uma semana, foram 16 canos estourados noticiados.

Há denúncias de vazamentos no Recife, Olinda, Camaragibe e Jaboatão dos Guararapes. São diversos os vídeos recebidos, em toda a Região Metropolitana do Recife.

Esquema de racionamento

A revolta da população só piora. No dia 22 de janeiro, a Companhia anunciou um esquema de racionamento de água, que afeta 10 cidades da Região Metropolitana.

A justificativa é de que é preciso preservar os mananciais, já que 2021 não deve ser um ano de chuva. Com o rodízio, em algumas regiões, a água só chega nas torneiras das casas a cada 20 dias, e olhe lá.

Cano estourado

Um líquido cada vez mais precioso. Desperdiçar chega até a ser pecado. Sem água na torneira, há 4 dias, a aposentada Severina Chagas não teve alternativa, a não ser juntar água do cano estourado, na Rua Alto do Piquiri, no bairro de Coqueiral. A cena foi gravada por um morador. Aos 59, foi o jeito que ela encontrou para ter água. Moradores sem um pingo de água em casa e a rua sendo lavada, 24h sem parar: essa é a realidade dos moradores do Estado.

Problema reconhecido

A Compesa reconhece o problema, mas diz que vem reduzindo o número de vazamentos, ao longo dos anos. A companhia ainda coloca a conta das perdas os furtos de água.

Além disso, diz também que investimentos têm sido feitos para melhorar a distribuição da água, e reforça que a população deve continuar ligando para informar os pontos de vazamento.

Denúncia ao MPPE

Quem não estiver satisfeito com o serviço da Compesa pode entrar em contato com o Ministério Público, por meio do número 127.

Mais Lidas