LUTO

"Ele foi um guerreiro", diz uma das filhas de Barruada


Vendedor ambulante de cachorro-quente morreu na madrugada desta terça (2), após uma parada respiratória

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 02/03/2021 às 16:00
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

Na madrugada desta terça-feira (2), o vendedor ambulante Joaquim Antônio, conhecido como Barruada, faleceu. Segundo informações repassadas pela família, a morte do vendedor ocorreu após uma parada respiratória. Em meio a dor do luto, uma das filhas de Barruada, Camila Maria da Silva, de 26 anos, concedeu entrevista à repórter do Jornal do Commercio, e expressou os sentimentos pelo pai.

"Ele era uma pessoa muito honesta, uma pessoa maravilhosa. Ele representou e fez tudo pela família e, para o ser humano, ele representou muito bem, pela honestidade dele, pela pessoa sincera que ele sempre foi, quem conhece ele, sabe. Ele foi um guerreiro", falou Camila.

Barruada deixou três filhos e cinco netos.

Sepultamento

A família informou que o sepultamento será realizado na manhã desta terça-feira (2), no cemitério de Santo Amaro.

Missa

Por causa da pandemia, o enterro deve ser feito sem aglomeração, mas haverá uma missa pela alma do ambulante. Ainda não se sabe horário nem local da cerimônia religiosa.

Comoção

No ano passado, Barruada chamou atenção, após pedir que as pessoas parassem de fazer doações em uma vaquinha online que reunia dinheiro para ele, vítima da crise financeira causada pela pandemia do novo coronavírus.

"Aqui é Barruada, que pediu ajuda a vocês. A gente estava olhando a conta que vocês fizeram os depósitos, e queria que vocês parassem um pouco, por favor. O que vocês me ajudaram já da para eu vencer a batalha. Se eu precisar, eu peço de novo a vocês. Muito obrigado mesmo pela ajuda, vocês me ajudaram muito. Muito obrigado", disse na época.

Cachorro-quente

Barruada trabalhava há décadas vendendo cachorro quente em frente ao colégio Salesiano, no bairro da Boa Vista, centro do Recife.


Mais Lidas