Câmara dos Deputados: PEC Emergencial, que viabiliza auxílio emergencial, deve ser votada na próxima semana

De acordo com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, o colégio de líderes pediu mais tempo para analisar a PEC Emergencial

ECONOMIA
Câmara dos Deputados: PEC Emergencial, que viabiliza auxílio emergencial, deve ser votada na próxima semana

Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Com informações da Agência Brasil e Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) informou que a Proposta de Emenda à Constituição 86/2019, conhecida como PEC Emergencial, começará a ser votada na Casa na próxima terça-feira (09). O texto, que cria mecanismos de ajuste fiscal e permite a retomada do pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia da covid-19, foi aprovado pelo Senado em segundo turno.

Após reunião do colégio de líderes, foi firmado o entendimento de que a Casa precisa de mais tempo para analisar a proposta. Para relatar a proposta, Lira escolheu o deputado Daniel Feitas (PSL-SC). Para ser aprovada, a proposta deve ter os votos de três quintos dos deputados, no mínimo, em cada turno da votação. Ou seja, aprovação de 308 dos 513 deputados.

“Não é justo que a PEC Emergencial saia hoje do Senado e a Câmara tenha que votar hoje ou amanhã sem discutir. O Senado levou um tempo maior e os deputados e deputadas tendo conhecimento do texto, pelo menos dá para os partidos e as lideranças se posicionarem com relação ao mérito a partir da terça-feira, que é o que eu penso”, falou Arthur Lira.

> Novo auxílio emergencial: O que falta para o governo começar a pagar benefício?

> Além do auxílio emergencial, programa de renda que substitua ou amplie o Bolsa Família é discutido

Na avaliação do presidente da Câmara, se houver um acordo entre as lideranças partidárias, há a possibilidade de a tramitação da PEC Emergencial ser acelerada. Para isso, tem que ser aprovado um requerimento de urgência para que a análise do texto ocorra diretamente no plenário, sem passar pelas comissões.

> Aplicativo poderá ser utilizado para consulta de auxílio emergencial; saiba mais

> Veja como será o auxílio emergencial de R$ 175, R$ 250 e R$ 375 em 2021: parcelas e pagamento

Caso isso ocorra, a possibilidade é de votar a proposta em primeiro e segundo turnos ainda na quarta-feira (10), com a quebra do intervalo de votação entre os turnos, que é de cinco sessões entre um turno e outro.

Proposta da PEC Emergencial

As medidas propostas proíbem novas leis que criem cargos ou empregos públicos que impliquem aumento de despesa, bem como alteração de estrutura de carreira. A realização de concursos públicos também estaria proibida. Essas proibições seriam aplicadas automaticamente sempre que o Congresso Nacional autorizasse a União a realizar operações de crédito cujo montante excedesse as despesas.

> Auxílio emergencial não pode ser objeto de chantagem de Bolsonaro, diz Dilma

> Novo auxílio emergencial: Governo deve gastar R$ 34,2 bilhões extras, aponta previsão do Senado

O parecer também prevê mecanismos para estados e municípios fazerem seus próprios ajustes fiscais e reduzir o endividamento. Ao mesmo tempo, a PEC permite contratações temporárias pelo poder público, a criação de cargos, o reajuste de despesas obrigatórias e a criação de renúncias fiscais sempre no contexto de enfrentamento de uma calamidade pública.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.