COVID-19

"Provável que esses 11 dias sejam insuficientes", diz especialista sobre quarentena em Pernambuco


A epidemiologista e professora titular da UFEL, Ethel Maciel, participou do programa Rádio Livre desta quinta-feira (18)

Gustavo Henrique Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 18/03/2021 às 15:55
Bruno Campos/ JC Imagem
FOTO: Bruno Campos/ JC Imagem
Leitura:

Durante o programa Rádio Livre desta quinta-feira (18), os apresentadores Anne Barretto e Leandro Oliveira entrevistaram a epidemiologista Ethel Maciel, que é professora titular da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), para falar sobre o período de quarentena, iniciado hoje em Pernambuco e sobre o difícil momento vivido atualmente, causado pela pandemia de covid-19.

>>>“Lockdown é medida paliativa. O mecanismo é uso de máscara, distanciamento e higienização”, diz especialista

O estado atingiu 100% de ocupação nos leitos de UTI. A informação é do secretário de saúde do estado, André Longo. De acordo com a Dra. Ethel Maciel, todo o Brasil está colapsado e a situação é crítica. "Essa é a maior crise sanitária de todos os tempos. Em outras crises do passado, nós não tinhamos todo o país sofrendo ao mesmo tempo. O momento é muito sério. Infelizmente, nossas autoridades demoraram a tomar medidas. Vivemos um momento dramático no país. Temos uma polarização política que está atrapalhando nesse controle. O vírus ataca todos, independentemente de opinião política", refletiu.

Ouça a entrevista completa

Falta de vacinas

Ainda segundo a epidemiologista, o Brasil errou em não fazer acordos necessários e, no momento, não há vacinas para todos. Devido a isso, ela fez um apelo para que as pessoas se encontrem menos. "Reduzir a circulação é a medida mais drástica, porém necessária no momento. Nessa quarentena, é preciso diminuir os horários de lugares abertos, para que as pessoas circulem menos, aumentando as restrições. Essa é a medida que não temos, já que não temos vacinas".

Seguindo o fio, Ethel alertou para a provável insuficiência do período de quarentena, que representa menos do que 2 semanas de confinamento. Ela argumenta que as quarentenas feitas nos estados agora precisarão de uma continuidade de pelo menos 30 dias. "Muito provável que esses onze dias serão insuficientes, pois estamos com uma aceleração muito grande da transmissão, além das variantes, que são mais transmíssiveis, ocorrendo o colapso no sistema de saúde. Certamente essas medidas de 11 ou 14 dias, a depender dos estados, terão que ser revistas. É uma situação dramática a que vivemos agora", explicou.

Covid-19 em Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, nesta quinta-feira (18), 2.139 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 130 (6%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 2.009 (94%) são leves.

Agora, Pernambuco totaliza 325.315 casos confirmados da doença, sendo 34.050 graves e 291.265 leves.

Mortes

Também foram confirmados 53 óbitos, ocorridos entre 22/07/2020 e 17/03/2021. Com isso, o Estado totaliza 11.563 mortes pela Covid-19.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Mais Lidas