Apesar das chuvas fracas, alagamentos causam transtornos na Imbiribeira, Zona Sul do Recife

O alagamento aconteceu no trecho do cruzamento da Avenida Mascarenhas de Moraes com a Rua Jean Emile Favre

ZONA SUL
Apesar das chuvas fracas, alagamentos causam transtornos na Imbiribeira, Zona Sul do Recife

A água acumulada na avenida também acabou gerando problemas para o comércio da área - Foto: Tião Siqueira/TV Jornal

O bairro da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, amanheceu com alagamentos nesta terça-feira (23), mesmo com as chuvas fracas da madrugada e da manhã. O acúmulo de água aconteceu no trecho do cruzamento da Avenida Mascarenhas de Moraes com a Rua Jean Emile Favre.

Apenas veículos de grande porte, como ônibus e caminhões, conseguiram trafegar, porém, com dificuldades. Os motoristas de carros e motos também se arriscavam no pelas poças de água provocadas pelo o alagamento.

Além disso, pedestres também tiverem dificuldades para trafegar na via. 

>> Chuva: Mesmo após reformas recentes, Avenida Presidente Kennedy volta a alagar

Água acumulada

A água acumulada na avenida também acabou gerando problemas para o comércio da área. O consultor de vendas de uma oficina mecânica, Pedro Henrique, afirma que toda vez que chove na área o prejuízo é grande para a empresa.

Prefeitura do Recife

Confira, na íntegra, a nota enviada pela Prefeitura do Recife:

A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife esclarece que o acúmulo de água no local acontece devido a um somatório de fatores, como a ocorrência de fortes chuvas em um curto período de tempo, o descarte incorreto de lixo que compromete a drenagem e o assoreamento de rios e bacias como a do Rio Tejipió, entre outros. Em fevereiro deste ano, a Emlurb já realizou uma intervenção de limpeza e desobstrução das galerias da área, além das operações da Ação Inverno, que este ano possui investimentos da ordem de R$ 96 milhões, incluindo ações de Defesa Civil, obras de contenção de encostas, eliminação de pontos de alagamento e limpezas de canais, entre outras. A Emlurb é responsável pela limpeza, todos os anos, dos 99 canais que cortam a cidade, um custo de R$ 7 milhões.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.