NOVO CORONAVÍRUS

Covid-19: "Média de infectados no Sertão do Pajeú é quase o dobro da média estadual", diz presidente da Amupe


José Patriota, presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), participou do Balanço de Notícias, da Rádio Jornal, nesta terça (23)

Gustavo Henrique Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 23/03/2021 às 18:20
Reprodução/Rádio Pajeú
FOTO: Reprodução/Rádio Pajeú
Leitura:

Os 13 municípios do Sertão do Pajeú e o município de Sertânia, no Sertão do Moxotó, vão implementar, a partir desta quarta-feira (24) até o próximo domingo (28), medidas ainda mais restritivas do que as vigentes atualmente em todo o estado para conter o avanço da pandemia da covid-19.

>>>Recife ganha novos pontos de vacinação contra a covid-19; saiba como agendar

O assunto foi debatido no programa Balanço de Notícias, da Rádio Jornal, desta terça-feira (23). Na ocasião, o apresentador Ciro Bezerra entrevistou José Patriota, presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe). O início da conversa começou com um desabafo por parte de Patriota, detalhando a situação crítica na região do Pajeú.

"É uma situação de muita alerta, de muita dificuldade. Estamos com as UTIs lotadas. Você abre uma vaga, fecha no outro dia. De manhã abre duas, falece um, outro tem alta. É aquela agonia. Muita dificuldade para fazer a regulação desses pacientes que precisam de intubação, que precisam de UTIs, sobretudo. Momento de tensão, prefeitor aperreados. E isso é geral, não só aqui no Pajeú. É em todo lugar. É uma coisa que dói muito e estamos com medo disso aumentar.", disse o presidente da Amupe.

José Patriota ressaltou ainda a necessidade de reforçar com a população a importância de seguir as medidas sanitárias de prevenção à covid-19, como o uso de álcool gel, máscaras e principalmente o distanciamento social. Ainda segundo ele, a média de infectados no Pajeú é quase o dobro da média de todo estado pernambucano. "Para você ter uma ideia, nós temos uma média estadual de infectados de 3.4%. Na região do Pajeú, é de 5.4%", afirmou, ressaltando a necessidade de diminuir esse alto índice através das restrições de circulação de pessoas na área.

Ouça a entrevista completa

Decreto

Um decreto municipal, com o mesmo texto, foi publicado pelas prefeituras do grupo de municípios estabelecendo as diretrizes das restrições. Além de Sertânia, integram o grupo Triunfo, Iguaraci, Ingazeira, Tabira, Santa Terezinha, Afogados da Ingazeira, Carnaíba, Brejinho, Itapetim, São José do Egito, Solidão, Quixaba, e Tuparetama.

A decisão foi tomada na última sexta-feira (19) durante reunião com o governador Paulo Câmara (PSB), o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, e o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota.

Nesta segunda-feira (22), os 13 prefeitos se reuniram com representantes do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e da Secretaria de Defesa Social (SDSD) para solicitar reforço no policiamento durante o período da quarentena mais rígida, em apoio às guardas municipais e as vigilâncias dos municípios.

O presidente da Amupe, José Patriota, argumentou que o termo correto para definir as novas medidas restritivas é quarentena, e não lockdown, pois não há restrição para a circulação de pessoas, mas sim para o funcionamento de determinados estabelecimentos.

"Nós não estamos chamando de lockdown, porque o lockdown restringe até o direito de ir e vir. É um aprofundamento, um endurecimento das medidas", disse Patriota.

Restrições

De acordo com o decreto de Afogados da Ingazeira, assinado pelo prefeito Alessandro Palmeira (PSB) e publicado nesta segunda-feira (22), ficam proibidas todas os eventos coletivos presenciais "com potencial de aglomeração", como shows, eventos sociais, congressos, atividades religiosas, esportivas e similares.

Fica suspenso o atendimento presencial ao público, seja na esfera federal, estadual ou municipal. A exceção é para os serviços de saúde, segurança justiça de urgência, fornecimento e tratamento de água, energia elétrica, saneamento básico, coleta de lixo, telecomunicações e internet, assistência social, serviços funerários, cemitérios, segurança alimentar e serviços administrativos.

As atividades comerciais de prestação de serviço estão proibidas, incluindo o atendimento presencial em estabelecimentos bancários, como agências, correspondentes bancários e casas lotéricas.

Também não podem funcionar as atividades nos mercados públicos e feiras livres. Não pode ser comercializado qualquer tipo de produto nas ruas e vias públicas dos municípios, como ruas, praças e calçadas.

Veja os estabelecimentos que podem funcionar:

- Estabelecimentos de saúde (UBS, UPA, hospitais, clínicas e consultórios) públicos e privados por sistema de agendamento, com exceção dos serviços de urgência e emergência

- Entrega em domicílio (bares, restaurantes, supermercados), desde que o estabelecimento esteja com as portas fechadas e sem entrega no local

- Serviços jurídicos de urgência, incluindo escritórios de advocacia, por sistema de agendamento

- Lava-jatos, oficinas e serviços de autopeças apenas nos casos de requisição do município e para atender emergências

Protocolos

Nos estabelecimentos autorizados a funcionar durante o período, devem ser seguidos os protocolos sanitários de distanciamento social de no mínimo dois metros, uso de máscaras de proteção, álcool em gel a 70% e higiene constante de superfícies e ambientes. Sempre que possível, é recomendável o atendimento de forma remota e adoção de entrega domiciliar


Mais Lidas