Luto no entretenimento

Paulo Gustavo: Mãe, dona Déa Lúcia revela como foi momento da morte do ator; veja


Paulo Gustavo morreu às vésperas do Dia das Mães; Déa Lúcia foi a grande inspiração para ator criar dona Hermínia, de Minha Mãe é Uma Peça

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 10/05/2021 às 7:48
Reprodução/Instagram
FOTO: Reprodução/Instagram
Leitura:

Inspiração para que Paulo Gustavo criasse a fenomenal personagem “Dona Hermínia”, de Minha Mãe é uma Peça, a mãe do ator, dona Déa Lúcia, quebrou o silêncio e falou ao Fantástico, da TV Globo, sobre os últimos momentos de vida do ator. No leito de morte, ela ficou segurando a mão do comediante, ao lado do pai, seu Júlio, da outra filha, da madrasta de Paulo e, claro, do marido do ator.

“A gente foi chamado no hospital porque ele teve morte cerebral. E nós ficamos ali. Juliana [irmã do ator] com uma mão na mãozinha dele, eu na outra, o Thales [marido de Paulo] no pé, Júlio [o pai] fazendo carinho na cabeça, e eu chamei Penha [atual esposa de Júlio] e falei: ‘segura aqui porque você também participou da vida deles’”, contou dona Déa Lúcia emocionada.

Despedida

Naquele momento, a família entoou a oração de São Francisco. “Aí cantamos a oração de São Francisco porque ele sempre pedia desde pequeno”, lembrou Déa Lúcia.

Segundo o pai, Paulo morreu durante a oração de São Francisco. “A frequência foi caindo, caindo, caindo, até [o aparelho] ficar piscando. Ai parou, nós fechamos a cortina e saímos", disse seu Júlio Márcio.

“Foi uma despedida bonita”, finalizou dona Déa Lúcia, bastante emocionada na entrevista.

A madrasta, a quem Paulo chamava de “mãedrasta”, Penha, concluiu a reportagem dizendo: “Ele fez o Brasil rir, orar e chorar”. Todos concordaram com a repórter Renata Ceribelli, que disse que, agora, Paulo estava fazendo o Brasil sentir “muita saudade”.

Morte de Paulo Gustavo

O ator Paulo Gustavo morreu na última terça-feira (4), aos 42 anos, Ele foi mais uma vítima da covid-19 no Brasil. Paulo ficou internado em um hospital particular de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, por mais de 50 dias, desde 13 de março. O quadro de saúde sofreu complicações e a morte foi confirmada às 21h12 pelo horário de Brasília.


Mais Lidas