Grande Recife

Barragem de Tapacurá recebeu pouca água das chuvas da semana passada, diz diretor da Compesa

Por outro lado, sistema Botafogo foi bastante beneficiado com chuvas

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 17/05/2021 às 12:15
Rodrigo Lôbo/ Acervo JC Imagem
FOTO: Rodrigo Lôbo/ Acervo JC Imagem
Leitura:

Maior barragem da Região Metropolitana do Recife, Tapacurá não foi bem agraciada com as fortes chuvas que se abateram contra as cidades do Grande Recife na semana passada. De acordo com o diretor técnico de Engenharia da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Flávio Figueiredo, as chuvas ainda não foram suficientes para garantia de um ano “tranquilo”.

“Tapacurá foi uma das barragens que menos pegou água com as chuvas da semana passada. Tivemos recuperação em todas, inclusive, Botafogo, pegou um bom nível, mas Tapacurá, de todas, foi a que menos pegou água”, explicou Figueiredo em entrevista ao Passando a Limpo, da Rádio Jornal, na manhã desta segunda-feira (17).

“Ainda não pegou o suficiente para termos tranquilidade durante mais um ano. Tapacurá continua sendo nossa maior barragem da RMR, mas sua importância caiu muito com a inauguração de Pirapama”, acrescentou o diretor.

Segundo o técnico, ainda que as barragens estejam em sua capacidade máxima, alguns pontos do Grande Recife ainda poderão necessitar do esquema de rodízio, que é tão reclamado pela população que mora na região. “Com todas as barragens em pleno funcionamento, na carga máxima, conseguimos abastecer a região metropolitana com reforço dos poços. Eventualmente, temos alguns trechos com regiões mais altas que temos dificuldades e precisamos fazer manobras. Há alguns pontos na cidade, devido ao acesso, em que precisamos de manobras, como fechar algum setor para a água chegar com mais pressão”, explicou Figueiredo.

Ouça a entrevista na íntegra:

Mais Lidas