Desrespeito

Festa clandestina com mais de 400 pessoas é encerrada pelo Batalhão de Choque da PM em Jaboatão, no Grande Recife


Boa parte dos participantes da festa clandestina não usava sequer máscara de proteção no momento em que polícia chegou

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 17/05/2021 às 11:00
Reprodução/Procon
FOTO: Reprodução/Procon
Leitura:

Mais de 400 pessoas se reuniram para uma festa clandestina na noite do sábado (15), no bairro de Manassu, na cidade de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Por sorte, equipes do Procon e da Polícia Militar chegaram ao local e puseram fim ao evento. Aglomerações deste tipo são consideradas eventos de “superespalhamento” do novo coronavírus. Isto é, sem máscaras e com nenhum distanciamento físico, a covid-19 pode ser transmitida com mais intensidade, agravando a pandemia.

A festa foi divulgada nas redes sociais como sendo uma “live”. No entanto, ao chegar no local - um sítio de difícil acesso - os fiscais do Procon encontraram show ao vivo e bebidas alcoólicas. Boa parte dos participantes nem sequer usavam máscaras cobrindo boca e nariz, como orientam as autoridades de saúde.

De acordo com o Procon, muitos participantes fugiram com a chegada na polícia. No entanto, um grupo foi conduzido até a Delegacia de Prazeres, também em Jaboatão dos Guararapes. Lá, os envolvidos assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrências (TCO) e liberados. Um inquérito policial foi aberto e a Polícia Civil deve investigar os responsáveis.

“A realização de festas com o descumprimento das medidas sanitárias, em um momento delicado como este da pandemia, é uma agressão não só às autoridades, mas a toda a população que acaba sendo amplamente afetada”, disse o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico. Equipes da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) também participaram da operação.

Denuncie

Denúncias que levem os policiais a essas aglomerações podem ser feitas pelo WhatsApp do Procon: 081 3181.7000 ou pelo Instagram do órgão: @proconpe.


Mais Lidas