Brasil

Sangrento massacre em escola de Brasília é evitado por policiais brasileiros e americanos; entenda o que aconteceu


Massacre aconteceria assim que as aulas presenciais voltassem na cidade

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 21/05/2021 às 15:10
Pixabay
FOTO: Pixabay
Leitura:

Policiais brasileiros do Distrito Federal conseguiram evitar, na manhã desta sexta-feira (21), um massacre contra um colégio público de Brasília que aconteceria assim que as aulas presenciais fossem retomadas. Um homem foi detido e ouvido como suspeito.

O alvo seria uma escola do Recanto das Emas. Até a tarde desta sexta-feira ainda há poucas informações sobre a operação, mas a polícia adiantou que a tragédia iria deixar dezenas de vítimas na capital do país. Por motivo de segurança, o nome da escola que seria alvo dos criminosos não foi divulgada. De acordo com as investigações, vários crimes violentos seriam cometidos contra as vítimas.

De acordo com o portal Metrópoles, o homem confessou a intenção em cometer os crimes, mas, como não houve flagrante, ele foi liberado. A polícia faz buscas para tentar localizar outros envolvidos no planejamento.

Os policiais chegaram até o suspeito com ajuda da polícia de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos. Não há relatos de que colégios americanos da cidade também fossem alvo dos criminosos.

“Temos essa parceria vinculada à Embaixada dos EUA no Brasil. Estamos fazemos um trabalho preventivo de forma permanente para antecipar e neutralizar o planejamento de ataques como esse que ocorreria na escola de Brasília”, explicou o coordenador do Laboratório de Operações Cibernéticas da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Alessandro Barreto.

Operação salvou vidas

Certamente, a operação dsta sexta-feira conseguiu salvar muitas vidas. Em massacres parecidos que aconteceram fora do país e, recentemente, também no Brasil, muitas crianças e professores acabaram morrendo.

No último dia 4 de maio, por exemplo, um jovem de 18 anos invadiu uma creche na cidade de Saudades, em Santa Catarina, e matou três crianças e duas professoras com uma espada.


Mais Lidas