PANDEMIA

Covid-19 em Pernambuco: Para continuar salvando vidas, precisamos de uma melhoria do comportamento da população, diz Longo


Secretário estadual de Saúde, André Longo, pede que população respeite medidas sanitárias contra a covid-19

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 25/05/2021 às 10:22
Tião Siqueira/JC Imagem
FOTO: Tião Siqueira/JC Imagem
Leitura:

O secretário estadual de Saúde, André Longo, não descarta que o crescimento dos casos de covid-19 esteja relacionado com as comemorações do Dia das Mães, celebrado no dia 9 de maio. O Governo de Pernambuco adotará novas medidas restritivas, a partir desta quarta-feira (26), para tentar barrar o avanço da doença no Estado e desafogar o sistema público de saúde.

"A gente sabe que houve comemorações mais inadequadas. Houve uma grande procura por restaurantes e bares, infelizmente, naquele domingo. Isso pode, sim, ter ajudado nesse processo", afirmou.

>> Máscara PFF2 pode ser usada por quantas horas? Existe modelo infantil? Saiba mais sobre o equipamento de proteção contra a covid-19

>> A gente está avaliando a presença de uma nova variante no Agreste, alerta secretário de Saúde de Pernambuco

>> Praias em Pernambuco serão fechadas? E as escolas e igrejas? Veja tudo que muda a partir desta quarta (26)

Mesmo com a abertura de novos leitos para atender pacientes com covid-19, Longo comenta a dificuldade em encontrar profissionais de saúde para preencher essas novas vagas. "Estamos passando, nesse momento, por uma dificuldade de mobilização de recursos humanos. Essa capacidade é finita. Estamos aproveitado as pessoas recém-formadas, que estão saindo das universidades, da faculdade de medicina, mas esse movimento é finito”, apontou.

"Não estamos sabendo conviver com o vírus"

O secretário voltou a pedir a colaboração da população e o respeito às medidas preventivas. “Sempre foi hora, mas agora mais ainda das pessoas atentarem para a necessidade do cuidado. A mensagem que a gente vem passando, desde o início: precisamos cuidar da prevenção. Educação sanitária básica. Se possível, ficar em casa, se precisar sair de casa, usar a máscara corretamente, buscar o distanciamento social possível e, sempre, fazer a higienização das mãos”, comentou.

André Longo diz que é importante o apoio da população para continuar salvando vidas. “Queremos continuar salvando vidas. E para continuar salvando vidas, precisamos de uma melhoria do comportamento da população. Infelizmente, não estamos sabendo conviver com o vírus (...) O reflexo, por uma questão de responsabilidade do poder público, é restringir mais as atividades. Não gostaríamos, mas diante do mau comportamento, das pessoas não cumprirem as medidas preventivas, se impõem essas medidas para a gente salvar vidas”, destacou.

Economia

André Longo reconhece a preocupação das restrições para o setor econômico, mas destaca que é necessário salvar vidas. “Estamos num momento dificílimo. Não há economia sem vidas. A gente precisa, primeiro, pensar em salvar vidas. A economia depende de as pessoas terem condições das pessoas estarem circulando”, disse.

“Apesar de ser papel do Estado abrir leitos, essa guerra se ganha evitando contágio, tentando minimizar o contágio e a circulação do vírus. A gente precisa muito do apoio de toda a sociedade, comércio, empresários, poder público municipal para poder reagir”, completou.


Mais Lidas