ENTREVISTA

'Dinheiro do Brasil vai para os brasileiros, não está indo mais para Cuba', diz ministro do Turismo


Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, esteve no Recife nesta segunda-feira (7)

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 07/06/2021 às 19:06
Isac Nóbrega /PR
FOTO: Isac Nóbrega /PR
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal, nesta segunda-feira (7), o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, reconheceu que o momento da pandemia da covid-19 no Brasil requer medidas restritivas e, consequentemente, o cancelamento dos festejos juninos.

“Estive com a prefeita [de Caruaru] Raquel na semana passada. Só o prejuízo para Caruaru é em trono de R$ 300 milhões. O prejuízo para o Nordeste é em torno de R$ 1 bilhão (...) Prejuízo enorme, mas temos que nos adequar à pandemia, e o setor de eventos aglomera. A gente tem que ficar dentro de casa, seguindo os protocolos de segurança e trabalhar para que o nosso povo seja vacinado”, afirmou.

Gilson Machado, que também é músico, lamenta o distanciamento dos palcos neste momento. “Eu estou ministro, mas sou músico, sanfoneiro, tenho uma carreira numa banda que todo mundo no Nordeste conhece, chamada Brucelose. Você não tem noção como é triste para um sanfoneiro passar o dia 23 de junho, véspera de São João, num apartamento em Brasília. Uma época que geralmente eu faço, no mínimo, dois shows numa noite. Isso dói na alma da gente”, desabafou.

Investimentos

O titular da pasta realizou, na tarde desta segunda-feira (07), uma visita técnica a Igreja da Conceição dos Militares que acaba de ter sua restauração finalizada. Para a obra, o Ministério do Turismo, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), destinou R$ 14.123.198,76. A obra permitiu a recuperação do projeto implantado no século XVIII.

O ministro do Turismo falou sobre o apoio que o Governo Federal tem concedido ao setor de eventos para ajudar nesse momento da pandemia. “Primeiro fizemos conexão com o Ministério da Economia na aprovação do Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), que foi uma grande aprovação para o setor de eventos. E, na semana passada, foi relocado 20% do valor total do Pronamp para o setor de eventos. Lançamos também o Fungetur (Fungetur), medida provisória que disponibilizou R$ 5 bilhões para o trade turístico como um todo, que estão sendo distribuídos em 29 instituições financeiras do Brasil (...) No Brasil todo, está servindo de alento para que as presenças mantenham o fluxo de caixa, mantenham seu maior capital, que é o capital humano”, revelou.

Ele ainda garante que o presidente Jair Bolsonaro valoriza a cultura e disse que, atualmente, o dinheiro do Brasil é devolvido aos brasileiros. “O governo do presidente Bolsonaro dá, sim, valor à cultura, ao resgate histórico do nosso país. Na semana passada nós inauguramos duas obras históricas em São Paulo (...) O Iphan, hoje, tem mais de 300 obras prontas para serem inauguradas, devolvidas à sociedade. É isso que o governo vem fazendo: cada dia mais entregando obras para os brasileiros. Agora, o dinheiro do Brasil vai para os brasileiros, não está indo mais para Cuba, Argentina, Venezuela, África”, afirmou.

Prioridade para Pernambuco

Segundo o ministro, após a visita realizada por ele e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na última semana a Pernambuco, o Governo Federal tem priorizado o Estado. “O que nós precisamos é de vacina. Assim que chegamos em Brasília, fomos ao presidente Bolsonaro e ele determinou que Pernambuco fosse visto com prioridade para que não houvesse risco de acontecer o que aconteceu em Manaus. Prontamente, o Ministério da Saúde enviou para Pernambuco 270 mil doses depois da nossa visita (...) A gente está temente, cuidando da saúde, porque sem saúde não há turismo”, disse.


Mais Lidas