Vacinação contra covid-19

Jornalistas fazem protesto no Recife pedindo vacinação contra covid-19 para categoria

Profissionais de imprensa integram grupo de serviços essenciais de trabalho e precisam sair de casa diariamente para informar a população sobre o avanço da pandemia

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 09/06/2021 às 9:23
Divulgação/Sinjope
FOTO: Divulgação/Sinjope
Leitura:

Profissionais de veículos de imprensa protestam nesta quarta-feira (9) para terem o direito de receber a vacina contra a covid-19 com prioridade. Há atos em vários estados do país. No Recife, os jornalistas se reúnem na Rua da Aurora, no centro, e devem seguir até o Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, para pedir a imunização.

Desde o início da pandemia da covid-19, no início de 2020, foi consenso no país que a imprensa é um serviço essencial, uma vez que é justamente por meio dos jornais, sites, emissoras de TV e de rádio que a população tem acesso às informações sobre o andamento da crise sanitária nas cidades e sobre a forma correta de evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

No entanto, até este mês de junho de 2021, cinco meses após o início da vacinação no país, poucos estados incluíram os jornalistas na lista de grupos prioritários. Bahia e Maranhão são alguns dos poucos estados que já começaram a imunizar a categoria.

“Não se combate uma pandemia sem informação verdadeira, e quem é responsável pela entrega dessas informações necessárias são homens e mulheres que saem todos os dias de casa, se arriscam na frente de hospitais, em pontos de vacinação [por exemplo]. Então, é uma questão prioritária. Se o jornalista é uma categoria essencial para trabalhar, também deve ser prioritária para receber a vacina”, disse o presidente do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco (Sinjope), Severino Júnior.

Abaixo-assinado

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) organizou um abaixo-assinado para pedir a vacinação contra covid-19 para a categoria. Para assinar o abaixo-assinado, clique aqui.

Programação da manifestação

A caminhada em direção ao palácio do governo está marcada para às 10h. Os jornalistas usam a cor azul para chamar atenção para o pedido. Ao meio-dia, está programado um “twitaço” e “instagramaço”.

Às 15h, os jornalistas prometem fazer comentários em redes sociais do Ministério da Saúde, como forma de pressionar pelo pedido. Por fim, às 19h, está marcada uma live nas redes sociais da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj).

Em Pernambuco, o Sinjope já pediu à Secretaria Estadual de Saúde a inclusão da categoria no plano de imunização.

Mais Lidas