Perfil

Depilação íntima, nepotismo e fake news: quem é André Fernandes, o deputado bolsonarista que descumpriu protocolo em Pernambuco?


André Fernandes é filho de um pastor da Assembleia de Deus e tem seu primeiro mandato marcado por várias polêmicas

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 14/06/2021 às 9:34
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

O vídeo de um parlamentar descumprindo e debochando de protocolos sanitários em uma praia pernambucana que rodou o país nesse final de semana não é a primeira polêmica do deputado estadual cearense André Fernandes (Republicanos). Longe disso. Aos 23 anos de idade, André acumula para sua biografia investigação do Ministério Público por suspeita de nepotismo, publicação de fake news nas redes sociais, suspensão das atividades parlamentares por quebra de decoro e até uma aula de depilação anal na internet.

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, André Fernandes ficou famoso por ensinar, nas redes sociais, um método para depilar o ânus. No vídeo, ele aparece vestido, mas simula o processo de depilação. “Fico de cócoras em cima do espelho com as pernas abertas”, inicia a explicação. Em seguida, ele usa um palavrão para dizer que passa água com sabonete no ânus, antes de usar uma lâmina para retirar os pelos. Na “aula”, ele sugere ainda que as pessoas façam o procedimento uma vez por mês.

Eleito com 109.742 votos nas eleições de 2018, André Fernandes teve o cargo suspenso por 30 dias em agosto do ano passado, após, sem apresentar provas, acusar o também deputado Nezinho Farias (PDT) de integrar uma facção criminosa. O processo havia começado em julho de 2019, portanto, no primeiro ano de mandato de Fernandes, quando o parlamentar fez as acusações.

"Cidadão de bem"

André nasceu em 1997 e é filho de um pastor da igreja Assembleia de Deus. Ele é formado em Marketing e cursa Ciência Política. “Defendendo sempre a família, os bons costumes, a polícia, o cidadão de bem, a legítima defesa, lutando pela redução de impostos, contra a ideologia de gênero, o aborto, as drogas, o politicamente correto e as inversões de valores, André recebeu o convite do Presidente Jair Messias Bolsonaro para ser candidato a Deputado Estadual no estado do Ceará”, explica o perfil do deputado no site da Assembleia Legislativa.

Deputado estadual do Ceará de 23 anos descumpriu decreto do Governo de Pernambuco
Deputado estadual do Ceará de 23 anos descumpriu decreto do Governo de Pernambuco
Reprodução/ Redes Sociais

Em maio do ano passado, o Instagram classificou como “fake news” uma publicação do deputado estadual. Na mensagem, André Fernandes disse que, entre 16 de março e 10 de maio de 2020, houve menos mortes por doenças respiratórias no Ceará em comparação com o mesmo período de 2019, em uma clara tentativa de negar as mortes causadas pela pandemia do novo coronavírus. A mensagem chegou a ser compartilhada pelo presidente Jair Bolsonaro, que também nega a gravidade da pandemia, e teve repercussão nacional. Os números apresentados por Fernandes à época estavam defasados e continham outras mortes, além das causadas por doenças respiratórias, em 2019.

Nepotismo

Em abril deste ano de 2021, o Ministério Público do Ceará instaurou um inquérito para apurar suspeitas de prática de nepotismo por parte de André Fernandes. O nepotismo é caracterizado quando um político emprega familiares em suas atividades públicas. As investigações apontam que Fernandes empregou dois familiares em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Ceará. De acordo com o G1, os investigadores apuram as contratações do cunhado de André, Edilanio Louro de Sousa, e do marido de uma tia, Bruno Wendel de Sousa Araújo, ambos como “assessores parlamentares”.

Polêmica em Pernambuco

No último sábado (12), André foi levado à delegacia de Porto de Galinhas, após se negar a sair da água, na praia de Muro Alto, no Litoral Sul. A Polícia Civil de Pernambuco investiga se o cearense descumpriu “medida sanitária preventiva” e se houve “abuso de autoridade”.


Mais Lidas