PANDEMIA

São João: Secretário pede comemoração segura e alerta que 1.750 pessoas estão 'lutando pela vida' em leitos de UTI de Pernambuco


Secretário estadual de Saúde, André Longo, pede que população respeite medidas sanitárias contra a covid-19 durante festejos juninos

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 23/06/2021 às 18:11
Heudes Regis/SEI
FOTO: Heudes Regis/SEI
Leitura:

Durante coletiva online realizada nesta quarta-feira (23), o secretário estadual de Saúde, André Longo, pediu que a população tenha cuidado durante os festejos juninos. Na análise da última Semana Epidemiológica (SE 24), pela 3ª semana consecutiva, Pernambuco observou redução nos indicadores da covid-19, configurando uma tendência clara de desaceleração. Apesar disso, ele ressaltou que a população precisa ficar atenta para evitar um novo recrudescimento da doenças.

“Apesar de animadores, os indicadores não significam que vencemos a pandemia. O vírus continua entre nós e, neste momento, 1.750 pessoas estão internadas, lutando pela vida, em leitos de UTI das redes pública e privada. Assim como já vimos em outros momentos, o comportamento negligente no São João poderá cobrar seu preço. Comemore esta noite de São João com segurança, porque só protegendo a vida, poderemos superar a pandemia e seguir em frente”, afirmou o secretário.

>> Dia de São João: Veja o que abre e o que fecha na quinta-feira (24) em Pernambuco

>> Pernambuco flexibiliza atividades econômicas na macrorregião 3; veja cidades que terão mudanças

>> São João: Vai poder acender fogueira? E soltar fogos, pode? Saiba as regras para o período junino em Pernambuco

Queda nos números

O secretário André Longo detalhou a redução apresentada nos indicadores da covid-19 em Pernambuco. "Em relação aos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), foram 1.395 - o menor patamar desde meados de março. E na comparação com a Semana 23, houve redução de 21%. Em 15 dias, a queda foi de 28,5%”, apresentou.

Já em relação às solicitações de leitos de UTI, Pernambuco teve uma redução de 15%. Com isso, pela 1ª vez em 7 meses, desde novembro do ano passado, a taxa de ocupação dos leitos de terapia intensiva está abaixo de 80%.
Até mesmo na 3ª Macrorregião, que era a região mais preocupante, também houve queda nos casos de SRAG - de 21% em uma semana e 23% em 15 dias, justificando o avanço no Plano de Convivência.

Veja a coletiva:


Mais Lidas